Omissão e incompetência pública

E a natureza se vinga. Em todos os municípios deste país e em todos os municípios de SC, o atraso e o amadorismo são históricos em prevenir consequências assassinas de enchentes por meio de um planejamento urbano, pela preservação de áreas verdes, pela contenção profissional de encostas, pelas drenagens de todas as ruas, enfim por providências simples, óbvias e de obrigação.

A culpa, também,  é da população que não cuida do meio ambiente jogando entulhos, móveis, lixos, tudo, em locais que agridem o meio ambiente.

Cientistas do tempo, já afirmam que as enchentes de Santa Catarina, que já mataram dezenas de pessoas e deixaram milhares de desabrigados, decorrem do impacto da omissão das autoridades e por falta de um planejamento urbano coerente, somado ao combate à pobreza, pois carentes, muitas vezes desabrigados, instalam suas casas em locais perigosos de deslizamentos sem interferência das prefeituras, porque “pobre gera voto”.

Por culpa de enchentes, ou não, todos os anos cerca de 18 milhões de pessoas (50 mil por dia) morrem por razões relacionadas com a pobreza e 11 milhões de crianças morrem antes de completarem cinco anos.

A pobreza fere a dignidade de quem sustenta com gotas de suor os poderes, municipais e estaduais fingidos, incompetentes e demagógicos e não somente em SC, mas no país.

O Brasil, e para ficarmos em SC, já é refém da fúria da natureza, e o meio ambiente agoniza.

Eventos catastróficos estão prestes a acontecer mais, em todo o mundo, e o cenário já está pronto e a disposição da ganância cruel do poder público e dos homens e as pessoas, os municípios, e os Estados permanecem patologicamente impassíveis.

A maioria está dormindo, ou ignora voluntariamente o que está acontecendo, se concentrando em seus próprios interesses e assim a solução encontrada para essa crise está entrando em colapso agora.

Esses acontecimentos do tempo significam o crescimento e não o fim do “autogoverno dos homens predadores e/ou parasitas”. Lembro da especulação imobiliária que, igualmente, “mata” em nome do “turismo”.

Sente-se, ainda, que os predadores sociais estão impunes e com altas doses de omissões, mentiras pra não perder de degustar o tempero do diabo, que é o dinheiro.

+

Artigos

Artigo

Santa Catarina cresce acima da média nacional, impulsionada por uma indústria que é referencia e pel ...