Previdência Privada

A Previdência Privada sem dú­vidas se tornou um dos pro­dutos financeiros mais pro­curados da atualidade. No Brasil, ela corresponde a um mercado de aproximadamente R$ 800 bilhões, com mais de 90% desse valor con­centrado nos grandes bancos, sen­do que os maiores fundos, em mé­dia, não rentabilizaram mais do que 90% do CDI.

Além disso, muitos desses fundos cobram taxas abusivas de adminis­tração e outras como de entrada/ saída e carregamento. Por isso a im­portância da análise na hora de esco­lher. Diante dessa realidade, as gran­des gestoras de fundos do mercado financeiro (gestoras competentes, com excelente histórico de gestão e resultados, e que cobram taxas com­petitivas e de acordo com o mer­cado) começaram a estruturar seus fundos na versão previdência. Esses fundos de Previdência Privada repli­cam as estratégias e a cultura ven­cedora dessas gestoras, respeitando algumas limitações como a não ala­vancagem e menor exposição de in­vestimentos estrangeiros nas cartei­ras. Além disso, não cobram taxas de entrada/saída e carregamento.

Um bom caminho no momento da escolha é fazer uso do “Tripé da Pre­vidência”, uma estratégia de três passos (análises) para você conse­guir escolher a melhor combinação desse produto. Ele é divido em: Tipo (PGBL-Plano Gerador de Benefício Livre ou VGBL– Vida Gerador de Be­nefício Livre), Tributação (regres­siva ou progressiva), Fundo (renda fixa ou multimercado). Analisando estes pontos, aplicando eles à reali­dade pessoal de cada um, é possível uma escolha mais segura e assertiva. As coisas ainda melhoram, existe a portabilidade de previdência, muito semelhante à portabilidade dos nú­meros de telefones celulares.

Ao se deparar com um fundo ruim de Previdência Privada, não é preci­so mais liquidá-lo e sim fazer uma portabilidade. Assim, é só transfe­rir seus valores nas mesmas confi­gurações e alíquotas do seu fundo ruim para um fundo bom. O trami­te é todo eletrônico e geralmente sem custos. Munidos desses passos para análise, as chances de escolher um bom fundo de previdência são enormes e, apesar dessa modali­dade ser entendida como de longo prazo, o monitoramento também é importante.

Mais Opiniões Artigos

Artigo

Nas coincidências da vida, deparei-me com duas estatísticas distintas que me chocaram. Uma delas, bem conhecida, sobre os […]

Artigo

Chegamos a mais uma campanha Setembro Verde – de prevenção ao câncer colorretal, e nos deparamos com algumas […]

Artigo

Só no ano passado o Tribunal de Justiça de Santa Catarina recebeu 952 mil novos processos. O tempo […]

Artigo

Em palestra na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) na sexta-feira, 30 de agosto, o presidente da Câmara […]