Santa Catarina Estado Feminino

Tomo carona na prestigiada data – 8 de Março – para escrever sobre Santa Catarina Estado Feminino, de Joares Carlos Ponticelli. O autor nos conduz como um almocreve pelos caminhos da história e da memória coletiva catarinense.

Entre lugares e as gentes pinça, com a delicadeza de um artífice, a figura feminina na terra barriga verde parida ou florida no espaço telúrico como uma laelia purpurata. Ao destacá-las o faz por liar seus feitos e suas qualidades essenciais ao longo de sua trajetória de vida. Vozes femininas, laboriosas, em espaço historial comum. Contudo, percorreram caminhos em épocas, gerações, contextos culturais diferentes e tempo de cada mulher.

Santa Catarina Estado Feminino, nasceu do desejo de apresentar mulheres pioneiras que elevam o estado para além dos seus limites e das fronteiras do Brasil. Há em cada capítulo um testemunho inequívoco do imenso respeito pela mulher catarinense que com conhecimento, trabalho, coragem e paixão escreveram uma importante página da nossa história.

​Ponticelli buscou nomes ícones da história, política, justiça e da cultura: a heroína Anita Garibaldi – Ana Maria de Jesus Ribeiro; a deputada Antonieta de Barros; a médica sanitarista Zilda Arns Neumann; a desembargadora Teresa Grisólia Tang; a Miss Brasil e atriz Vera Fisher e a poeta Maura de Sena Pereira. Textos primorosos, onde o pioneirismo é o fio condutor de cada narrativa e responde por sua unidade.

Caracteriza-se por uma escrita sensível, rica na documentação histórica, nas fontes bibliográficas, nos depoimentos de estudiosos e conhecedores do percurso dessas mulheres. Mergulhei neste universo, embrenhei-me por histórias admiráveis e prenhes de humanidade.

Na abertura, a sabedoria da filósofa e mártir de Alexandria – a Santa Catarina, padroeira do Estado. Reitero o que tenho afirmado anos a fio – a terra Catarina e a alma do nosso povo é o dínamo gerador da energia criativa do saber cultural que nos caracteriza, ainda que assentada na diversidade geográfica, econômica ou étnica.

As histórias narradas por Joares Ponticelli em Santa Catarina Estado Feminino são conhecidas, bem sei. Mas, aqui reunidas, têm sabor da memória tecida e o fascínio de histórias que transbordam do passado em águas do presente e deslizam em direção ao mar do futuro. Santa Catarina é um Estado Feminino. Eis a prova apodítica!

+

Artigos

Artigo

Sabido e ressabido que “todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou ...

Artigo

As velhas tragédias gregas já nos ensinaram que são poucas as coisas que de fato movem a humanidade: ...