Sinais que importam

Na vida, há ruído e há sinal. Ambos tomam tempo, ambos tomam energia. Contudo, do turbilhão de informações e ações que nos atingem todos os dias, grande parte é apenas distração, ruído; e a minoria, verdadeiramente importante, são sinais.

Mesmo assim, não é difícil identificá-los, pois costumam estar fundamentados em princípios sólidos e em boas práticas. Por esses motivos, também não é complicado percebermos as fontes de sinal. Aqueles que agem com base nesses fundamentos tornam-se agentes de excelência e suas ideias e ações perduram no tempo.

Neste 13 de maio a Acif (Associação Empresarial de Florianópolis) completa 106 anos de sua fundação. Sempre alicerçada nos princípios do associativismo, do voluntariado e do livre mercado, traz nessa história coesão e protagonismo ao setor produtivo florianopolitano, formando lideranças, tendências e exemplos. Em um mundo tomado pelo marasmo do ruído e pela obsessão do efêmero, esta data mostra que a entidade é uma fonte de sinal.

Mas, ainda que palavras possam inspirar, apenas ações transformam. Da mesma forma que naquele longínquo 1915 foram estabelecidas as primeiras práticas das quais hoje toda a cidade colhe frutos, a Acif hoje segue assentando as bases da prosperidade de Florianópolis às futuras gerações.

Foi assim com a construção do 21º Batalhão de Polícia Militar, iniciativa coordenada pela Associação que resultou na captação de mais de R$ 6 milhões para entregar um aparelho moderno de segurança pública para os catarinenses no início de 2021.

Também foi o que ocorreu com a Aliança Pela Vida, outra ação coordenada pela entidade que, em tempo hábil, deu uma resposta ao momento mais crítico da calamidade sanitária da Covid-19, entregando à cidade um aparato de saúde pública financiado com recursos privados.

Da mesma forma com o Pacto Floripa – um projeto que coordenou e orientou esforços de retomada econômica e de geração de emprego e renda aos cidadãos da Capital, capitaneado pela Acif.

A construção dos próximos 106 anos não será menos difícil. As fragilidades históricas das instituições brasileiras seguem presentes, indicando que ainda viveremos muita turbulência.

No entanto, o florianopolitano, o catarinense ou o brasileiro não estarão sozinhos para enfrentá-la. Em um mundo tomado pelo marasmo do ruído, a Acif trabalha para ser fonte de sinal. Contem conosco.

+

Artigos