Socialismo x nazismo

O dia 27 de janeiro celebrou os 75 anos do fim de Auschwitz um temível campo de concentração de perseguidos pela doutrina nazista. Lendo os relatos dos últimos prisioneiros, os que entraram no ano de 1944 e 1945 (os anteriores foram mortos), é aterrorizante, algo incompreensível ao leitor de 2020. Cada “carga ferroviária” que chegava havia uma sinistra separação – crianças abaixo de 15 anos, mulheres grávidas e pessoas idosas iam direto para as câmaras de gás.

Os demais eram então classificados para os trabalhos do campo. Passavam fome, eram submetidos às mais cruéis condições humanas, sem banheiros para todos, sem remédios, morriam de doenças graves (tifo, sarna) e desnutrição.

A doutrina nazista continha ações e pensamentos absolutamente condenáveis como endeusar a eugenia e elevar o arianismo à categoria de etnia superior, perseguir as minorias como judeus e ciganos sob o argumento de que eram responsáveis pelo desastre econômico da Alemanha e alimentar o grande sonho de uma potência a comandar o mundo.

O primeiro campo chamou-se Dachau e estima- se que em toda a Europa ocupada segundo o Ministério da Justiça alemão tenha chegado a 1.200. Mas a Jewish Virtual Library estima muito mais, 15 mil unidades.

O Fascismo cujo líder Mussolini havia rompido com os comunistas e fundado o seu próprio partido, tinha ambições menores, mas não menos tóxicas – desejo de ser um Estado Forte (ditatorial) com base na economia mista, principalmente, através de cooperativas.

Sua doutrina consistia em ser contra o “capitalismo” modelo de economia que oprimia o trabalhador e enriquecia os aristocratas. Na Europa entre 1900 a 1945 a rejeição ao capitalismo era total. Buscava-se uma alternativa ao sistema “imperialista” e está se encontrava no “socialismo”. Os fascistas acreditavam que as nações e as raças deviam eliminar os indivíduos mais fracos em termos sociais e biológicos e as pessoas que consideravam “degeneradas” muito parecido com os ensinamentos nazistas.

Formando o tripé do mal, o socialismo. Assim como “Nazi” vem do encurtamento de nationalsozialist, o acrônimo Gulag em russo, significa Administração Central dos Campos, enormes espaços para deter prisioneiros, punidos com trabalhos forçados, torturas físicas e psicológicas. Eram piores do que os campos nazistas, mas, desde sempre escondidos dos olhos do mundo. Estima-se entre 450 a 500 campos de concentração e passaram por lá mais de 60 milhões de pessoas, milhares morreram de frio e fome, maioria assassinada brutalmente.

O nazismo e o fascismo foram extintos logo após a guerra em 1945, mas o socialismo não só não acabou como foi “exportado” e aceito pelo mundo, até nossos dias. O nazismo e o fascismo são condenados, defender essas doutrinas dá cadeia. E o socialismo porque não merece o mesmo desprezo? Esta inexplicável esquisitice ainda não foi respondida pelos historiadores e, pelos partidos socialistas brasileiros.

Mais Opiniões Artigos

Artigo

Crescimento, modernidade, redistribuição de renda, exercícios de cidadania etc. não passarão do campo das intenções vazias enquanto nossa […]

Artigo

Desde 1988, a Constituição da República Federativa do Brasil veda expressamente práticas que submetam os animais a qualquer […]

Artigo

Uma fagulha, faíscas a partir da alteração de uma transmissão de energia elétrica. De maneira bem simples, esta […]

Artigo

Em sua obra “The Banality of Evil”, Hannah Arendt observa como os crimes nazistas extrapolaram os limites do […]

Artigo

A instalação da Academia Nacional da Polícia Rodoviária Federal no Norte da Ilha de SC parecia ser mais […]

Artigo

O início deste novo ciclo significa novas oportunidades, aprendizados, crescimento pessoal e coletivo com muitos desafios. A Escola […]

Artigo

Sobre o futuro do varejo há uma única certeza: não há um único modelo a ser copiado, ao […]

Artigo

Vivemos em tempos de impulsionamento das startups, e o melhor de tudo é que o Brasil possui uma […]