VAR – confusão no futebol

Desde que me conheço como amante do futebol, ouço e leio que a decisão do árbitro é soberana. João Havelange, ex -presidente da CBF e da Fifa, disse, numa palestra na Fiesc, na década de 80, que “futebol é polêmica; o dia que acabar a polêmica, acaba o futebol”. Para o brasileiro que ama o futebol, não há coisa melhor do que chegar no trabalho às segundas-feiras e, como torcedor, torcer os fatos. Diz um: “pra mim foi pênalti”; diz outro: “pra mim não foi”. E começa a discussão. Esse momento faz o futebol. Repito que sempre ouvi que a decisão do árbitro é soberana. Então, para que o árbitro assistente de vídeo ou “Video Assistant Referee-VAR”? Uma de suas funções é, segundo a Fifa, “ajudar o árbitro a determinar se houve alguma infração que impeça de validar o gol”. Inicialmente, pensava-se que o VAR não poderia corrigir o impedimento, porque este não é mencionado nas quatro situações (gols, pênaltis, cartões vermelhos e erros de identidade), mas, na verdade, o sistema está habilitado para reverter qualquer ação que possa ter influenciado um gol. Realmente, o VAR, é um árbitro assistente que analisa as decisões tomadas pelo árbitro principal com a utilização de imagens de vídeo e de uns auscultadores para comunicação. Esta assistência pode ocorrer a pedido do árbitro em caso de dúvidas em uma das jogadas, que podem ser revistas, ou caso os assistentes observem um lance duvidoso e comuniquem o juiz da partida através do fone de ouvido. Porém, acho que, pelo que demora, ele atrapalha o andamento e a sequência do jogo, permitindo até que um dos times, ou os dois, possam se recompor taticamente. Sei que o VAR já vem sendo usado há algum tempo em alguns países, mas foi popularizado na Copa da Rússia. Está, também, em pleno uso no Brasil. Mas, acho que é perda de tempo. Assim, deixem o árbitro decidir na hora. Deixem as discussões para os tribunais. Querem melhorar, coloquem um “chip” na bola. É o máximo que aceito como emprego da tecnologia no futebol. Ah, concordo com telões nos estádios, para que alguns torcedores se vejam e jogadores façam pose.

Mais Opiniões Artigos

Artigo

Nas coincidências da vida, deparei-me com duas estatísticas distintas que me chocaram. Uma delas, bem conhecida, sobre os […]

Artigo

Chegamos a mais uma campanha Setembro Verde – de prevenção ao câncer colorretal, e nos deparamos com algumas […]

Artigo

Só no ano passado o Tribunal de Justiça de Santa Catarina recebeu 952 mil novos processos. O tempo […]

Artigo

Em palestra na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) na sexta-feira, 30 de agosto, o presidente da Câmara […]