Acervo da Ditadura

Não poderia silenciar e deixar de cumprimentar o jornalista Paulo Clóvis Schmitz, pela série sobre os horrores desferidos e consumados pela ditadura contra o povo. Gostaria de destacar também o trabalho exaustivo desenvolvido pelo Coletivo Catarinense Memória, Verdade e Justiça. E parabenizar a Faed/Udesc por acolher e disponibilizar o Acervo da Ditadura através do Instituto de Documentação e Investigação em Ciências Humanas (IDHC), que já abriga a preciosa biblioteca de Salim Miguel e Eglê Malheiros. Denunciar os golpes e revelar a verdade são papéis que os jornais e jornalistas não podem negar aos leitores. É o que faz o ND ao ceder espaço para as reportagens especiais, que são verdadeiras aulas para a juventude e também para os desatentos ou desinformados. A informação é a arma para barrar as viúvas da ditadura e cortar o entusiasmo dos saudosistas do regime de exceção e dos adeptos de governos ilegítimos.

Mais Opiniões Cartas

Nenhum conteúdo encontrado