A Câmara como protagonista

O pacote de seis projetos da Prefeitura de Florianópolis enviado à Câmara de Vereadores já começou a ser analisado por uma comissão especial formada por 11 parlamentares. O objetivo do prefeito Gean Loureiro é dar agilidade aos processos relacionados à cidade, o que reflete em menos burocracia.

Os assuntos que constam no pacote – alienação de imóveis do município e da Comcap, IPTU do bom pagador, ampliação do Conselho Municipal de Educação, alteração do Código de Obras, Plano Diretor e mudanças na Comcap – estão há décadas sendo discutidos na cidade, mas nenhum gestor teve coragem de mexer com temas polêmicos que ao longo dos anos permaneceram em banho-maria. O prefeito Gean Loureiro foi enfático: “Não podemos esperar mais. A cidade precisa, urgentemente, ter normas com menos burocracia e definir sua forma de crescimento”.

Ou seja, o futuro de Florianópolis está nas mãos dos vereadores. Como sempre acontece, quando a Câmara recebe algum projeto do Executivo que beneficia a cidade, os vereadores sofrem pressão do Sintrasem (Sindicatos dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis). Sindicato esse que mantém o mesmo discurso há anos, de que tal proposta é prejudicial ao servidor, que é contra a cidade…

Um disco riscado, um discurso retrógrado de sindicalistas que pararam no tempo, que estão sentados na estabilidade do serviço público, que não produzem ou empreendem. Os vereadores precisam ser corajosos, passar por cima dessas ameaças. É momento de pensar coletivo, pensar no desenvolvimento de Florianópolis, no futuro da cidade do “nada pode”. Esse estigma precisa ficar de vez no passado. É hora de virar esse jogo.

O prefeito fez a sua parte, com projetos ousados e realistas. A Câmara, após as análises que compõem o trâmite, precisa dar uma resposta positiva para a cidade, uma resposta a favor de Florianópolis. É a oportunidade de ser protagonista neste novo momento.

+

Editoriais