A força que vem do campo

O agronegócio continua demonstrando força e importância para a economia de Santa Catarina. Dos US$ 2,64 bilhões arrecadados pelo Estado com exportações, de janeiro a abril, 70% (US$ 1,85 bilhão) são do agronegócio, responsável por 46% do PIB (Produto Interno Bruto) catarinense.

Mesmo durante a crise mundial que se instalou durante a pandemia do novo coronavírus, o agronegócio catarinense manteve seu crescimento oferecendo resultados positivos para toda a economia. Detentor de novas tecnologias e pesquisas de centros de excelência e de universidades, o Estado continua abastecendo os grandes mercados, como China, Hong Kong, Chile e Japão. É um trabalho de excelência feito no campo.

Um dos principais destaques deste primeiro quadrimestre foi a exportação de soja. Os embarques somaram mais de 815 mil toneladas, o maior volume dos últimos dez anos. A China é o principal destino da produção catarinense, responsável por mais de 80% dos negócios. Outras altas expressivas foram registradas nos embarques de carne suína, carne de peru e arroz.

O reconhecimento do agronegócio catarinense pode ser medido pelos títulos que o Estado detém. É o maior produtor nacional de suínos, maçã e cebola; o segundo maior produtor de aves e arroz; e o quarto maior produtor de leite.

É uma das certificações mais importantes de Santa Catarina é o reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) com único Estado área livre de febre aftosa sem vacinação.

Como sempre, Santa Catarina se diferencia dos outros Estados da Federação. Não só no agronegócio. Em diversos outros setores também estamos à frente. Um prêmio para o povo trabalhador, que não se cansa de produzir, empreender e inovar.

+

Editoriais

Editorial

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados na última ...

Editorial

FRASE: E a solução para reduzir esta conta, ao contrário do que se pensa, não está nos gabinetes, ma ...