A hora da verdade

O relatório parcial da apuração interna da CGE (Controladoria-Geral do Estado) sobre o desastroso processo de compra dos 200 respiradores da Veigamed, com dispensa de licitação e pagamento antecipado de R$ 33 milhões, aponta o envolvimento do atual secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, dos ex-secretários Douglas Borba (Casa Civil) e Helton de Souza Zeferino (Saúde), de quatro servidores da Secretaria de Estado da Saúde e do coordenador do Fundo Estadual da Saúde, José Florêncio da Rocha.

A sindicância da CGE vai ao encontro do que a força-tarefa formada por Ministério Público de Santa Catarina, Tribunal de Contas do Estado e Polícia Civil e a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Respiradores da Assembleia Legislativa já trouxeram a público até agora sobre a negociação dos ventiladores pulmonares.

Os nomes estão expostos. Todas as frentes que investigam a compra convergem para os mesmos personagens. O trabalho da força-tarefa resultou em cinco prisões, entre eles Douglas Borba, e uma pessoa está foragida – Pedro Nascimento Araújo, representante da Veigamed. Paralelo à investigação, os deputados estaduais, a cada rodada de depoimentos, querem saber quem autorizou a compra, quem “apertou o botão”.

Excetuando uma ou outra troca de acusações durante os depoimentos na CPI, os envolvidos são unânimes em dizer que são os responsáveis pela compra, não sabem de nada, não conhecem os representantes da Veigamed. Os discursos são bem parecidos.

Quando questionado sobre o assunto, o governador Carlos Moisés também afirma que não conhece as pessoas que negociaram com o governo do Estado e que Santa Catarina vai recuperar toda ou quase a totalidade da quantia paga à empresa que nunca tinha vendido nada ao governo.

Quem autorizou a compra? Qual era o objetivo com o superfaturamento? Onde estão os R$ 33 milhões? A sociedade catarinense merece respostas convincentes e verdadeiras sobre essas irregularidades. O discurso de desconhecimento e o desdém dos envolvidos não funcionam mais. O cerco está se fechando.

+

Editoriais

Editorial

O Grupo ND e a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) deram a largada na sexta-feira (23 ...

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...