A ponte e o turismo

Reaberta há cinco dias, a ponte Hercílio Luz virou a principal atração turística de Florianópolis neste verão. A estrutura restaurada mexe com as emoções das pessoas. Moradores de Florianópolis e turistas aproveitam essa fase exclusiva para pedestres e ciclistas para conhecer ou “rever” a Velha Senhora.

Os mais velhos fazem questão de passar pela ponte para reviver aqueles anos em que passavam por ela para trabalhar, ir à escola ou à praia. Quando atravessavam com os pais, avós ou amigos. Os mais novos, querem ver de perto o que antes parecia inatingível. A época de incertezas ficou para trás.

Ex-governadores e o atual governador conseguiram devolver a ponte Hercílio Luz aos catarinenses. O fundamental agora é traçar um plano de manutenção da estrutura, não podemos deixar que a nossa velha/nova ponte volte a correr riscos ou ser interditada. Foram 28 anos sem podermos sequer acessá-la. Vinte e oito anos de gastos e dúvidas. Governo e Prefeitura de Florianópolis precisam saber como rentabilizar o nosso cartão-postal.

Em cidades como Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu e Paris, as atrações turísticas são fontes de arrecadação. Na maioria dos casos, são por meio de parcerias público-privadas. Turistas pagam, sem reclamar, para visitar o Cristo Redentor, as Cataratas do Iguaçu ou a Torre Eiffel. É com o turismo que essas atrações são preservadas. Essa pode ser a solução também para a ponte Hercílio Luz. Afinal, o destino prioritário do dinheiro público precisa ser em saúde, educação e segurança.

+

Editoriais

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...