A praia da Beira-Mar

O primeiro passo para a balneabilidade da baía Norte, no trecho de 3,5 quilômetros de extensão da avenida Beira-Mar Norte, foi concluído. Após seis meses da instalação da URA (Unidade de Recuperação Ambiental), unidade que complementa o sistema de esgoto existente na região central da cidade e trata a carga residual de esgotos que persiste nas galerias de drenagem e que chega ao mar, a notícia tão aguardada chegou: a água está própria para banho. O resultado histórico será um avanço para Florianópolis. A baía Norte limpa, balneável, vai impactar positivamente os setores da economia da Capital. O sistema ainda está sendo ajustado e a expectativa é que possamos ter, já na próxima temporada de verão, uma praia no Centro que receba banhistas e turistas. Só há ganhos, para os hotéis, restaurantes e o comércio da Beira-Mar Norte e da região central, para motoristas de táxis e de aplicativos, para os vendedores ambulantes… e para os moradores, que terão a praia como um “plus” na tradicional área de lazer. O trabalho conjunto da Prefeitura da Capital, Casan e do IMA (Instituto Estadual do Meio Ambiente), com utilização de muita tecnologia, é apenas o segundo concebido no mundo. O único projeto semelhante foi executado na cidade litorânea de Santa Mônica, na Califórnia, Estados Unidos. Quando o projeto de Florianópolis foi lançado muitos foram contra. O custo inicial era de R$ 24,5 milhões. Em um primeiro momento, gerou dúvidas e precisou ser aprimorado, inclusive com redução de custos para chegar ao valor atual de R$ 17,1 milhões. Hoje, com a baía Norte balneável, está provado que o retorno ambiental e econômico será bem maior do que foi investido no projeto.

Mais Opiniões Editoriais

Editorial

O incêndio no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, controlado pelos bombeiros depois de quase dois dias de […]

Editorial

A população de Florianópolis convive mais uma vez com a ameaça de não poder contar com um serviço […]