A temporada de verão

A poucos dias do início de dezembro, Santa Catarina e os principais destinos turísticos do verão fazem os ajustes finais para mais uma temporada de verão. Na última sexta-feira, o governo do Estado liberou recursos que permitem a atuação dos guarda vidas em 170 balneários a partir deste fim de semana, e não apenas em 15 de dezembro, tradicional data de início da Operação Verão. Uma das justificativas é de que os turistas já começaram a chegar e que os casos de afogamentos registrados desde que a temperatura começou a subir serviram de alerta. O objetivo é garantir mais segurança aos banhistas. Dentro e fora dos órgãos públicos, há expectativa sobre como vai ser a temporada. A primeira incógnita é sobre o fluxo de visitantes. Ao mesmo tempo em que há praticamente consenso sobre a drástica redução dos argentinos em função da crise no país vizinho– repetindo o verão 2018/2019 -, há um enorme ponto de interrogação a respeito da movimentação dos demais sul-americanos. Entre eles, os chilenos, que vieram em maior número no último verão. Outra dúvida é sobre os reflexos do desastre ambiental que atingiu as praias do Nordeste nos últimos dois meses, com o aparecimento das manchas de óleo. Operadores turísticos apostam em maior procura pelas praias do litoral sul do país, especialmente de Santa Catarina a partir do mês que vem. O temor é de que a poluição, que chegou ao Rio de Janeiro, desemboque também na orla do Estado. Será também a primeira temporada com o novo Aeroporto Internacional Hercílio Luz em operação. Os visitantes vão desembarcar com um terminal de primeira linha, no mesmo nível dos melhores do mundo, mas terão que conviver com uma acesso ainda em fase de conclusão – e sem iluminação – e com os velhos problemas de mobilidade da Capital catarinense.

+

Editoriais