Alguém ainda duvida da eficácia da vacina?

Pesquisa veiculada nos veículos do Grupo ND e nas páginas 4 e 5 da edição de hoje do jornal ND aponta que a maioria dos moradores da Grande Florianópolis apoia as medidas restritivas que já estão em vigor até o dia 30 deste mês, acredita que não é necessário aumentar as restrições e revela que sente medo da doença que há pelo menos 16 meses assombra o mundo.

Houve uma queda no item muito grande de medo em relação às pesquisas anteriores, divulgadas nos meses de janeiro e março, mas os números permanecem os mesmos anteriores, de 31% com medo grande e aumentos também em relação aos menos destemidos anteriores nos itens médio, pequeno e muito pequeno. 8,8% revelam não ter nenhum medo.

Quase 80% admitem que a situação da pandemia no Brasil é muito grave e grave e surpreendentemente 72% estão em isolamento parcial, somente com saídas para o trabalho. Em torno de 9% estão levando a vida normalmente.

Levar a vida normalmente é desejo óbvio de 100% da população, pega de surpresa por uma doença que além de provocar milhões de mortes mudou totalmente a rotina de todos.

Entre informações e desinformações, o que ainda preocupa é o fato de que aumentou para 5,8% o índice de pessoas da Grande Florianópolis que revelaram não ter intenção de tomar vacina; 3,4% ainda não se decidiram.

Apesar das orientações e campanhas em todos os níveis alertando para a importância da vacina como a única forma de conter o vírus, mais de 9% ainda não estão convencidos da eficácia da medida.

Números surpreendentes revelam que no território nacional mais de 3,5 milhões de pessoas não retornaram aos postos para tomar a segunda dose. Em Santa Catarina, são 100 mil.

Opiniões pessoais à parte, o que a pandemia tem nos ensinado diariamente é que precisamos estar abertos para aprendermos sempre e nos adaptarmos diante da crise. A vacina não tem cor partidária e é um direito e um dever de todos os cidadãos de bem e do bem. O momento é de consciência e não de rebeldia.

+

Editoriais