Benefícios e privilégios

A decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina de suspender a dispensa de licitação para o aluguel da nova sede do Detran/SC (Departamento Estadual de Trânsito) é lamentável. Embora se respeite uma determinação da Justiça, essa decisão acabou beneficiando um empresário que vem usufruindo há anos de um aluguel de R$ 185 mil por mês de um prédio que não oferece condições de abrigar os funcionários do órgão e muito menos de receber as cerca de 1.900 pessoas que precisam de atendimento diariamente. A atual sede, no bairro Estreito, está irregular junto ao Corpo de Bombeiros. O último habite-se, o documento que garante que o imóvel foi construído dentro das normas estabelecidas pelo município, é de 2012, e há 12 anos o prédio não passa por reformas estruturais. O Detran justifica que a dispensa de licitação foi utilizada porque o novo imóvel atende aos requisitos e tem o valor dentro do praticado pelo mercado. O novo contrato de locação vai proporcionar uma redução de gastos de R$ 312 mil anuais – o valor mensal do aluguel gira em torno de R$ 159 mil. O prédio em Coqueiros tem melhores condições de trabalho e de atendimento ao público. Quando o governo reage contra situações que a sociedade reclama, a Justiça concede uma liminar na contramão do desejo popular. E para completar vem a velha política, não dos políticos, mas de empresários acostumados a usufruir do Poder Público, e se manifesta. A velha política não está só nos políticos, mas também em empresários sem espírito público, que não conseguem romper com um passado de benefícios e privilégios.

+

Editoriais