Cenário de otimismo

Apesar de ainda o coronavírus ser uma real ameaça, de a Covid-19 continuar matando centenas de pessoas diariamente no Brasil, a vida está voltando ao normal, ou ao “novo normal”, como alguns gostam de definir esse momento da pandemia.

Desde junho, é a primeira vez que Santa Catarina não tem nenhuma região em estado gravíssimo. O número de casos vem caindo, assim como o número de mortes.

Lá no início da pandemia, a população, ao menos grande parte dela, entendeu que era fundamental ficar em casa, manter distanciamento de outras pessoas, evitar aglomerações, usar álcool gel e lavar as mãos com frequência, enfim, houve um entendimento de que precisávamos ter cuidados especiais.

Ainda não há uma vacina para vencer o vírus, mas o pior já passou. Aos poucos, a economia volta a girar, os negócios foram retomados e o comércio respira mais aliviado com o movimento que cresce gradativamente. É claro que a pandemia deixou marcas profundas nas empresas e nos trabalhadores, que vão demorar para cicatrizar.

Mas a “normalidade” que se vê nas ruas está devolvendo o otimismo para quem foi prejudicado. Em Florianópolis, o trânsito voltou a ficar mais “pesado”, já há registros de filas, principalmente na avenida Beira-Mar Norte.

É perceptível que está todo mundo cansado, seria bem melhor se não fosse mais necessário o uso da máscara, se a ameaça real de contaminação não existisse mais.

Nesse “novo normal” é preciso continuar com os cuidados adotados desde março. Pois o mundo não para e cabe a cada cidadão cuidar o máximo possível de sua proteção. A vida precisa continuar, mas ainda não foi vencido o inimigo chamado coronavírus. Neste momento de incertezas, é importante manter o foco. Não podemos baixar a guarda.