Coronavírus no Brasil

A confirmação do primeiro caso novo coronavírus (Covid-19) no Brasil não é motivo para alarmismo, mas sim um alerta para que o governo federal, por meio do Ministério da Saúde, reforce os procedimentos e as orientações à população. As pessoas também precisam redobrar os cuidados básicos com a saúde. Ontem, o ministro Luiz Henrique Mandetta pediu calma e afirmou que sua pasta vai se preparar da melhor maneira. “É uma gripe, vamos passar por ela e colocar todas as fichas na ciência”, disse.

Na China, onde o vírus surgiu, o número de mortes já chega a 2.700. Agora, os casos não param de crescer nos países europeus, inclusive com mortes. Embora a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmar ainda não ter elementos para declarar uma pandemia, o  surto de coronavírus continua sendo uma emergência internacional.

Entre os temores, está a possibilidade da doença se alastrar a países com sistemas de saúde frágeis. De acordo com o Ministério da Saúde, no mundo já foram registrados mais de 80,2 mil casos do coronavírus em 34 países. Os casos mais graves são aqueles que afetam pessoas com mais de 60 anos. São os idosos que precisam de mais orientação e ajuda para se prevenir.

Higienização constante das mãos e a adoção de medidas de etiqueta respiratória, como tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos) seguem como as recomendações básicas para reduzir os ricos de doenças virais respiratórias. O momento é das pessoas se conscientizarem, buscarem informações e seguirem todas as orientações das autoridades da área da saúde.

+

Editoriais

Editorial

Desde 1990, o mês de outubro foi escolhido para massificar a informação de que o autoexame é a princ ...

Editorial

As relações de consumo são das mais importantes da economia, pois geram a maioria dos empregos forma ...