Covid-19: nova etapa

A quarta edição da pesquisa “A Grande Florianópolis e a Covid-19”, realizada em agosto, revelou uma nova percepção da população sobre a pandemia. Quase seis meses depois das primeiras medidas de enfrentamento ao coronavírus, a maioria acha que o pior já passou, apesar de reconhecer ainda a gravidade da situação e defender a manutenção das restrições.

Parcela significativa dos entrevistados nos quatro principais municípios da região entende que chegamos ao pico de casos. Apesar do entendimento de que o cenário epidemiológico já melhorou, é reveladora
a opinião dos moradores quando questionados sobre como as autoridades devem agir nas próximas semanas.

A maioria, 54,6%, entende que a situação deve seguir como está,
liberando apenas algumas atividades, mas com restrições. Outros 10,8% falaram que é preciso liberar todas as atividades, enquanto 32,3% acreditam que é preciso aumentar as restrições. Mostra que, mesmo
mais otimistas as pessoas continuam cautelosas em relação à exposição ao vírus.

O levantamento da Lupi & Associados identificou tendência do número de pessoas que estão saindo de casa apenas para o trabalho e mostrou que o isolamento total tem sido praticado por apenas 6,2% dos consultados em agosto, enquanto 48,2% dos entrevistados estão em isolamento parcial com saídas inevitáveis.

Já o percentual daqueles que revelaram não estar em isolamento por decisão própria teve uma elevação de 4,7% em julho para 7% em agosto.
Chamou a atenção, no entanto, os percentuais de entrevistados que revelaram nunca terem sido afetados por emoções como tédio (46,7%), tristeza (45,6%), insegurança (41,7%), angústia e ansiedade (41,6%) e estresse e cansaço (40,9%).

+

Editoriais