Descaso com as pontes

Definitivamente, o governo de Santa Catarina tem um sério problema com pontes. Mais ainda em Florianópolis. As pontes Hercílio Luz, Colombo Salles, Pedro Ivo e da Barra da Lagoa são os casos mais emblemáticos, que se transformaram em novelas, com intermináveis aditivos, impasses e longas esperas. A da Barra foi inaugurada, a Hercílio Luz será reaberta no dia 30 de dezembro e as duas únicas ligações entre Ilha e Continente passam por reforma. Agora, os problemas estão concentrados nestas duas estruturas, que nunca passaram por manutenções mais completas. A Justiça vinha alertando há anos sobre a degradação das estruturas. O resultado disso é um custo mais alto da obra. Uma nova licitação já foi anunciada pelo governo do Estado, pois mais serviços terão que ser realizados. Em 2018, um engenheiro ouvido pelo ND afirmou que a falta de manutenção encurtou a vida útil das duas pontes. O Poder Público não tem o direito de agir somente depois da “casa arrombada”. Não há desculpa para isso. Nem falta de recursos, nem falta de pessoal. É obrigação. Se antes não havia recursos para a reforma das pontes e das passarelas, agora é necessária a obra, pois riscos são reais, mas não se pode admitir uma nova farra de aditivos. Os catarinenses acompanharam num misto de apreensão e decepção a restauração da Hercílio Luz, que consumiu mais de R$ 740 milhões. Ninguém mais quer ver o dinheiro público mal empregado em obras duvidosas ou nas mãos de empreiteiras.