Esperança e trabalho andam juntos

O Brasil gerou 401.639 novos postos de trabalho em fevereiro deste ano. Este número se refere ao saldo de 1.694.604 admissões e de 1.292.965 desligamentos de empregados que tinham carteira assinada. O crescimento é considerado o maior para o mês de fevereiro, de acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ele comemorou ontem os números destacando o vigor da economia brasileira mesmo diante de um cenário caótico provocado pela pandemia, que há um ano vem dizimando a vida da população brasileira e provocando um verdadeiro colapso na saúde e em diversos setores, em especial no comércio e nas indústrias de entretenimento e turismo.

Uma rápida análise nos números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) aponta também que foram abertas oportunidades de emprego com carteira assinada para 33.994 trabalhadores em solo catarinense em fevereiro, resultado de 132.831 admissões e 98.837 demissões. Este número representa um aumento surpreendente de 95% em relação ao mesmo mês do ano passado, que teve saldo de 17.395 empregos.

Ponto para o Estado de Santa Catarina, que mesmo enfrentando dificuldades como o crescente número de mortes provocadas pela Covid-19 e uma desastrosa temporada de verão em relação ao fraco movimento turístico e por causa dos estragos provocados pelas adversidades climáticas, saiu fortalecido, garantindo pelo menos comida na mesa para milhares de famílias e com o quarto melhor desempenho do país em volume de carteiras assinadas.

O resultado também representa mais de 8% dos 401.639 empregos gerados em todo o território nacional no mês passado.Com esta reação, Santa Catarina mostra sua força produtiva diante do cenário nacional. E somando-se este esforço ao segmento da saúde na aceleração da vacinação, que também vem apresentando excelentes resultados, aquela luz de retomada lá no fim do túnel da pandemia ganha mais intensidade.

+

Editoriais