Frio histórico: atração turística e solidariedade

A chegada de uma onda de frio extremo em Santa Catarina está mobilizando as equipes da Defesa Civil e da Assistência Social, do Estado e dos municípios. Reuniões estão sendo feitas para debater estratégias de combate ao frio histórico previsto para essa semana.

Governo e prefeituras preparam estruturas de apoio às famílias e de socorro emergencial. Conforme as previsões de meteorologistas, Santa Catarina deve registrar temperaturas mínimas de até -7ºC em 80% do território catarinense.

Enquanto turistas sobem a Serra para aproveitar as belas paisagens, em carros e hotéis/casas aquecidos, e se divertir com a neve, pessoas mais vulneráveis e em situação de rua sofrem por não terem estrutura suficiente para enfrentar os dias mais gelados.

São nestes momentos que entram em ação a solidariedade do povo catarinense e a experiência, competência e dedicação dos representantes dos órgãos públicos, acostumados a lidar com situações adversas ou extremas, que são históricas em Santa Catarina.

Em Florianópolis, uma grande força-tarefa que envolve Secretaria de Assistência Social, Defesa Civil, Fundação Somar, Polícia Militar e Guarda Municipal será colocada em ação para acolhimento de pessoas em situação de rua.

Outras cidades do Estado também estão mobilizadas para ajudar quem mais precisa de apoio. Sempre é importante lembrar que diversas campanhas do agasalho estão em andamento no Estado, como a da NDTV, que há 24 anos recebe doações e encaminha para famílias carentes.

Santa Catarina deve viver dias históricos no inverno mais uma vez. Em 1957, foi registrada a maior nevasca da história no Estado, com sete horas ininterruptas de neve em São Joaquim.

Em 2013, outro momento histórico ocorreu com registros de neve em 113 municípios catarinenses e de chuva congelada em outros 35 municípios. Uma imagem que ficou eternizada é a do topo do Morro do Cambirela, em Palhoça, inteiramente congelado pela neve.

O fenômeno encanta por sua beleza e por ser raro. Quem presencia a neve, como turista, guarda o momento positivo para sempre na memória. Quem sofre as consequências do frio também fica com marcas, mas negativas. Para essas pessoas, o frio só é bom se houver solidariedade. E isso o povo catarinense tem de sobra.

+

Editoriais

Editorial

Reportagem publicada na página 15 desta edição traz decisão judicial tomada por juíza do município d ...