Geração de empregos

O governo federal lançou o programa Verde e Amarelo para incentivar a qualificação profissional e a geração de emprego e renda. A iniciativa é acertada, pois o público-alvo são jovens que buscam a inserção no mercado de trabalho ou o primeiro emprego, trabalhadores desempregados que estejam cadastrados no banco de dados do Sistema Nacional de Emprego e pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo. Neste momento de retomada econômica, é fundamental priorizar a geração de emprego, pois os brasileiros sofrem com a falta de oportunidades desde o início da crise econômica, em 2014. Desde então, o número de desempregados no Brasil teve uma alta de mais de quase sete milhões de pessoas. Com o novo programa, a expectativa do governo é de gerar ao longo de três anos cerca de 4,5 milhões de empregos. Aliado à inserção ao mercado de trabalho, a iniciativa ainda prevê descobrir as demandas por emprego. A ideia é incentivar, com o auxílio da rede pública de educação profissional, o mapeamento da real demanda do setor produtivo por qualificação profissional. Uma das principais cobranças sobre os governos – federal e estadual – sempre foi para a qualificação dos trabalhadores. O que acontece frequentemente é que empresas não conseguem preencher vagas que exigem maior qualificação. Esse processo ainda é lento, mas o perfil dos trabalhadores acompanha as mudanças socioeconômicas e vem se alterando ao longo dos últimos anos. Agora, com essa nova iniciativa, mais pessoas vão conseguir se qualificar e contribuir para que o Brasil avance cada vez mais e volte a figurar entre as principais potências econômicas do mundo.

+

Editoriais

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...