Hora de apostar na prevenção

O Brasil deu a largada oficialmente, ontem, na campanha nacional de vacinação contra a gripe influenza. A meta é imunizar cerca de 80 milhões de pessoas dos grupos prioritários definidos por critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Este ano, em função da pandemia de coronavírus, a campanha ganha ainda mais importância, já que manter a saúde em dia é também uma forma de contribuir para o país vencer a luta contra a Covid-19.

Reconhecido internacionalmente por sua competência na promoção de campanhas de vacinação, o Brasil investiu R$ 1,2 bilhão para a compra dos imunizantes. Para evitar as aglomerações, o trabalho foi dividido em três etapas e tem término previsto para o dia 9 de julho.

Em tempos de questionamento sobre a eficácia de imunizantes, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, fez questão de frisar que a vacina é segura e efetiva para a prevenção da gripe influenza. E mais ainda: ela consegue reduzir complicações, internações e mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza.

Aqui em Santa Catarina, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a meta é alcançar uma cobertura mínima de 90% das 2,7 milhões de pessoas dos chamados grupos prioritários.

A secretária da Saúde, Carmen Zanotto, lembrou que o Estado já tem tradição de alcançar boa cobertura vacinal contra a gripe e conclamou a população mapeada a se vacinar.

“Precisamos manter isso. Reforço a necessidade de as pessoas comparecerem para a imunização conforme as orientações de cada município”, reforçou a secretária, assinalando que o Estado está tentando antecipar o recebimento de mais doses, temendo um inverno mais rigoroso na região Sul do país.

Com as vacinas à disposição – e alguns cuidados extras como a definição de três fases distintas – para evitar as temíveis aglomerações que ajudam a disseminar o vírus da Covid-19, o que se espera, agora, é que a população colabore para que a campanha tenha êxito. Afinal, prevenir ainda é o melhor remédio.

+

Editoriais

Editorial

Compadecer-se com o sofrimento alheio, ter a sensibilidade de compreender e tentar amenizar a dor do ...

Editorial

Mais de um ano depois do início da pandemia, todos, em maior ou menor grau sentem no físico e no emo ...

Editorial

Livre do processo de impeachment, o governador Carlos Moisés parece ter reassumido o cargo com dispo ...