Imprudência ao volante

As blitze da Lei Seca realizadas pelas polícias rodoviárias Militar e Federal nas estradas estaduais e federais de Santa Catarina no fim de semana, com registro de 180 casos de embriaguez, levantam uma preocupação que há meses não ocorria no Estado: os flagrantes de motoristas dirigindo embriagados.

Nos primeiros meses da pandemia, com a circulação reduzida de veículos e o isolamento social, os casos de embriaguez eram mais raros. Com o passar do tempo, vieram os feriados prolongados e agora a temporada de verão.

O fluxo de turistas fez aumentar o movimento nas rodovias e nas cidades. É o período mais crítico do trânsito em Santa Catarina, com muita gente circulando sem conhecer as vias e motoristas que insistem em dirigir sob efeito de bebidas alcoólicas.

Este é um momento de acender o sinal de alerta e cobrar das autoridades mais rigidez na aplicação da Lei Seca. O que se espera é um cerco contra a mistura de álcool e direção. Quem visita a nossa região não pode achar que vai beber, dirigir e sair impune. “O número de flagrantes é preocupante”, alertou a PRF.

Com uma opção cada vez mais diversificada de transportes por aplicativos, a utilização desse serviço é a alternativa mais segura para quem quer curtir praias e baladas sem se preocupar com ter que dirigir para voltar para casa.

Mesmo para o turista que chega de carro, vale a pena deixar o veículo parado e optar pelos sistemas coletivos. Só assim vamos reduzir os acidentes e as mortes no trânsito.

Para quem beber e dirigir, os rigores da lei e que as polícias consigam, estrategicamente, cobrir os pontos de maior movimentação e punir quem ainda prefere arriscar a sua vida e a dos demais motoristas. É preciso dar um basta à imprudência ao volante.

+

Editoriais

Editorial

Os moradores da Lagoa da Conceição, um dos principais cartões-postais de Florianópolis, foram surpre ...

Editorial

Esperança da humanidade. Vitória da ciência. Estas são algumas das expressões mais ouvidas desde que ...