Interminável Contorno

A pior notícia que moradores da Grande Florianópolis, cansados de esperar pela conclusão do Contorno Viário, gostariam de ouvir, foi dita na segunda-feira pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. A obra, que originalmente deveria estar pronta em 2012, agora deverá ser concluída no segundo semestre de 2022. Até então, o último prazo dado pela concessionária Arteris, era 2021.

A cada mês, semestre ou ano que a obra que deveria retirar mais de 20% do tráfego pesado da BR-101 – agora já se fala que apenas cerca de 10% a 12% do volume atual de veículos deve migrar para a nova estrada -, mais complicada e perigosa fica a rodovia federal. Adaptações em saídas e acessos à pista e operações tapa-buracos são ações paliativas, que não resolvem o problema central da BR- 101: o grande número de veículos que circulam em uma região que abriga quase 1,5 milhão de pessoas e que é passagem para os Estados do Rio Grande do Sul e Paraná.

A construção do Contorno Viário virou uma novela, mas com o pior roteiro que se poderia imaginar. Interesses comerciais, burocracia, mudanças de traçado e incompetência administrativa de parte do órgão federal que deveria cobrar o andamento e fiscalizar a obra (ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres) são apenas algumas das barreiras do atraso. Chega de promessas vazias, de prazos que não se cumprem. A Grande Florianópolis, refém de uma concessionária que arrecada muito dinheiro com pedágios, precisa urgente dessa obra. Para o bem de milhares de pessoas.

Mais Opiniões Editoriais

Editorial

As velhas práticas da política estão mais que condenadas. Não é apenas a legalidade que norteia uma decisão. […]

Editorial

É grande a expectativa pelos efeitos da reforma da Previdência na economia do país. Uma nova realidade, que […]

Editorial

O imbróglio que cerca a restauração da Catedral Metropolitana de Florianópolis reflete a dificuldade de preservação dos prédios […]

Editorial

Num cenário social ainda conturbado, que divide os brasileiros a favor ou contra, entre direita e esquerda, Bolsonaristas […]