Lugar de cachorro não é na praia

Vira e mexe, algum vereador ou vereadora de Florianópolis apresenta um projeto de lei para tentar permitir a presença de cães nas praias. Quando isso acontece, a Câmara perde tempo e os vereadores saem do foco dos assuntos mais importantes sobre a cidade ao ter que analisar este tipo de proposta, que até hoje não teve aprovação na Capital.

Esta semana, um novo projeto foi protocolado, de autoria da vereadora Priscila Fernandes (Podemos), ligada às causas animais. Um projeto como este exige investimento público. Não é simplesmente aprová-lo e tudo bem.

Seria preciso construir estruturas nas praias para receber os animais; e fiscais teriam que controlar o acesso somente de cães vacinados, com identificação e comprovante de vermifugação.

Um desperdício de dinheiro público para uma ação que desagrada a maioria dos banhistas. Lugar de cachorro não é na praia. Os cães são animais fantásticos, são nossos companheiros, que nos dão amor gratuito e nos entendem muito bem.

Em troca, merecem receber carinho e cuidados especiais. Não é justo tirá-los de casa, do conforto a que estão acostumados, e levá-los para a areia quente num ambiente de calor intenso. O bem-estar do animal deve ser a prioridade. Levar o cão para a praia é uma prática mal vista pelas autoridades sanitárias de um modo geral.

E a razão disso são os acidentes envolvendo animais que geralmente são levados para passear soltos e acabam por ferir alguém, a possibilidade de transmissão de doenças que podem afetar as pessoas e também pela própria saúde do animal, às vezes apresentando problemas pelo excesso de calor, ingestão de restos de peixes e crustáceos, areia ou água salgada.

O cachorro é o melhor amigo do homem. Se você gosta do seu cão, não leve-o à praia. Uma praia lotada não é o ambiente adequado para ele. E Florianópolis (leia-se Câmara de Vereadores) precisa pôr fim definitivamente a essas tentativas de aprovar um projeto que permita cães nas praias.

+

Editoriais