Marca histórica na economia

A retomada econômica do país recebeu ontem um enorme estímulo do Copom (Comitê de Política Monetária), que anunciou corte de 0,5% na taxa Selic. Os juros básicos da economia caem para 5% ao ano, o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. A decisão, tomada por unanimidade, revela que os membros do Copom estão atentos não apenas à trajetória da inflação, mas também ao cenário econômico como um todo, especialmente aos dados do desemprego e da estagnação no PIB (Produto Interno Bruto). O texto do Comitê indicou que uma nova redução de 0,5 ponto deverá ocorrer antes do fim do ano. O principal argumento do Banco Central é a necessidade de continuidade nas reformas estruturais da economia brasileira para que os juros permaneçam em níveis baixos por longo tempo. Dados mencionados pelo Copom reforçam a percepção de que uma redução da taxa de juros neste momento tem bases sustentáveis. As previsões de inflação até 2022 permanecem todas abaixo de 4% ao ano, ou seja, inferiores ao centro da meta estabelecida pelo Banco Central. Aliada a indicadores favoráveis como inflação controlada e as recentes reduções nas taxas de juros para financiamentos imobiliários, a medida anunciada ontem pelo Copom terá importantes impactos no ambiente de negócios do país. A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. Essa medida recoloca definitivamente o país no caminho do crescimento.

+

Editoriais

Editorial

Nesta época de pandemia, uma data importante do calendário brasileiro passou praticamente despercebi ...

Editorial

A aprovação pela continuidade do processo de impeachment do governador Carlos Moisés e da vice Danie ...