Mourão: uma nova esperança

A presença do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), na última sexta-feira, trouxe ao catarinense uma nova esperança quanto a ver quebrada a máxima de que o nosso Estado é o último a receber obras e recursos da União. Mourão mostrou que conhece uma de nossas principais mazelas, que é a falta de estrutura para escoar a nossa produção. Lembrou que rodovias como as BRs 282 e 470 cortam quase todo o nosso território ainda em pista única – praticamente com a mesma estrutura do início do século 20, tempo em que o número de carros era bem menor e nossa indústria estava em desenvolvimento. Disse que é nesse quesito que o governo central pode e deve ajudar Santa Catarina.

O vice-presidente, general da reserva, estava bem informado sobre o Estado. Muito mais do que a grande maioria dos nossos últimos ministros e governantes nacionais. Aparentou estar disposto a retribuir a votação histórica que o Estado garantiu a ele e ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) na eleição passada e a importante contribuição econômica de Santa Catarina para o contexto do Brasil. Uma visão diferente dos governos anteriores, que acreditam que nosso Estado “não precisava de nada” e que era preciso “desenvolver o Nordeste” – região que teve milhares de chances para crescer, vem recebendo a maior parte dos recursos e que apresenta pouca evolução, talvez por inércia de seus próprios governos e de anos e mais anos de corrupção e desperdício.

Se o general Mourão e o presidente Bolsonaro conseguirem de fato valorizar o papel de Santa Catarina no crescimento do País, certamente entrarão para a história e, mais uma vez, nosso povo responderá, ajudando ainda mais o país a crescer- mostrando o quanto vale a pena investir em quem sempre apoiou o Brasil. A esperança está renovada e a expectativa agora é outra.

+

Editoriais