O cenário das nossas rodovias

Nova edição da Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada durante a semana pela Confederação Nacional do Transporte e pelo Sest Senat, mostrou que o país retrocedeu em relação à qualidade das estradas. O estudo constata piora nas condições das características observadas. O estado geral apresenta problemas em 59% da extensão dos trechos avaliados. Em 2018, o percentual foi 57%. Também está pior a situação do pavimento (52,4% com problema), da sinalização (48,1%) e da geometria da via (76,3%). No ano passado, a avaliação foi 50,9%, 44,7% e 75,7% com problemas, respectivamente. O número de pontos críticos identificados ao longo dos 108.863 quilômetros pesquisados aumentou 75,6%. Passou de 454 em 2018 para 797 em 2019. Na pesquisa da CNT, são avaliadas as condições de toda a malha federal pavimentada e dos principais trechos estaduais, também pavimentados. O diagnóstico, que está na 23ª edição, é referencial importante para a tomada de decisões das autoridades, em todas as esferas. O investimento em infraestrutura, no caso específico na melhoria das rodovias, é crucial para que o Brasil alcance outro patamar em termos de competitividade. Além do evidente custo social e humano da carnificina diária – os acidentes estão entre as principais causas de mortes no país – as condições das rodovias impactam diretamente nos custos do transporte. Em 2019, estima-se que, na média nacional, as inadequações do pavimento resultaram em uma elevação do custo operacional do transporte em torno de 28,5%, o que acaba impactando diretamente no bolso do consumidor.

+

Editoriais

Editorial

O Grupo ND e a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) deram a largada na sexta-feira (23 ...

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...