O idoso mais querido

“O fato é que a importância econômica do Mercado para a cidade é inegável desde o tempo em que os barcos aportavam em seu entorno.”

Se ele fosse um ser humano, certamente não estaria vivo. Caso estivesse, faria parte do seletíssimo grupo de supercentenários, aqueles senhores e senhoras longevos que ultrapassam os 110 anos. Raras figuras que de vez em quando ganham as manchetes. E na paisagem urbana da Capital catarinense, o icônico Mercado Público, com suas vestes amarelas celebra os 122 anos de existência.

Mais do que um ponto turístico, a construção histórica é pano de fundo para as histórias de vida de várias gerações de manezinhos e atração para os turistas, que se deliciam com a gastronomia variada e a oferta de frutos do mar, entre outras atrações. Como ponto de encontro, o senhorzinho vive um momento de timidez em função da pandemia.

Mas o fato é que a importância econômica do Mercado para a cidade é inegável desde o tempo em que os barcos aportavam em seu entorno. Como toda a vida, a história do Mercado é cheia de dramas e alegrias. Nessas décadas de existência, ele viu o mar se afastar, o trânsito complicar, passou por expansões, reformas, adequações, incêndios e mais recentemente, uma pandemia. Foram cerca de sete meses com boa parte das lojas com portas fechadas.

O aniversário teve uma reunião tímida para lembrar a grande festa que há quase três décadas anuncia o Carnaval, o Berbigão do Boca. Neste ano, com a programação oficial carnavalesca acertadamente cancelada por causa da pandemia, todo o tradicional agito no espaço e imediações deve ser reduzido. Pelo menos, é o que pede o bom senso.

E o que se espera para este querido supercentenário é que o poder público o tenha sempre como uma prioridade, estudando formas de integrar a preservação da história com o desenvolvimento, guardando em seus espaços a preciosa memória de quem teve o prazer de ver o mar batendo em suas estruturas e testemunhou o desenvolvimento de sua cidade.

Que as cenas de alegria e as fotos reproduzidas por todos os que o visitam ajudem a resguardar sua memória, e que continue oferecendo turismo, lazer, comércio, gastronomia e gerando oportunidades e empregos em um dos mais perfeitos cartões-postais.

 

+

Editoriais