Omissão e oportunismo

Todos os deputados federais catarinenses, à exceção do petista Pedro
Uczai, apoiam as propostas para mudar a Constituição e restabelecer
a prisão após condenação em segunda instância derrubada pelo STF.
Também nossos três senadores resolveram assumir que são a favor. Isto é
o que mostrou reportagem especial publicada pelo ND que ouviu todos os
parlamentares. A pergunta que não quer calar: Por que não se manifestaram
antes? Os parlamentares ainda não entenderam o seu papel.

Foram eleitos para agir, propor, mudar, não se omitir. A decisão do STF e o esforço para libertar o ex-presidente Lula eram previsíveis. Já se sabia que a maioria dos brasileiros, sedentos por justiça, desejava a manutenção da prisão em segunda instância. A imprensa anunciou os votos, com muita antecedência, dos integrantes da suprema corte.

O que fizeram nossos políticos? Esperaram para ver para onde a maré
corria. Não apoiaram a PEC para mudar a Constituição. Esperaram calmamente a decisão do STF e o voto de minerva do ministro Dias Toffoli. Foram omissos e negligentes. Por puro oportunismo, agora correm para os microfones para anunciar apoio às PECs que estão em discussão no Congresso.

Agora, senhores deputados, depois da porta arrombada querem
colocar trancas? Será que nossos parlamentares têm ideia do prejuízo que
a decisão do STF, que colocará nas ruas milhares de criminosos, causará
à sociedade? A omissão dos parlamentares decepcionou aqueles que
acreditavam nos novos deputados e senadores eleitos pela onda Bolsonaro.
E a nova política, foi para o ralo?

Na verdade, não existe nova ou velha política, mas um novo eleitor que confiou o seu voto em favor dos políticos esperando mudanças radicais na forma de fazer política, cansados da corrupção e de governos ineficientes. A voz rouca das ruas está sendo abafada pelos maus políticos que se beneficiam do poder ao invés de trabalhar para seus eleitores. Não derrubaram o auxílio-mudança, continuam fazendo cirurgias bariátricas à custa dos contribuintes, aumentaram as verbas do fundo eleitoral, são perdulários com verbas públicas, gastam milhões com assessores e privilégios.

Infelizmente, grande parte dos políticos não faz as leis para melhorar as condições de vida dos eleitores, mas em benefício próprio. Por que não apoiaram a CPI da Lava-Toga? Por que não apoiaram a PEC para manter a prisão em segunda instância? A resposta é simples: porque muitos maus políticos temem ser alcançados pela Justiça. Ou porque estão envolvidos com falcatruas e crimes. Esta talvez seja a razão pela omissão e falta de compromisso com quem os elegeu.

Mais Opiniões Editoriais

Editorial

O projeto de municipalizar as sete rodovias estaduais que cortam Florianópolis ganha fôlego sempre que cresce o debate […]

Editorial

É inegável que os serviços prestados pela Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital) são excelentes, há uma dedicação […]

Editorial

De mãos atadas, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões. “Escravo da lei”, […]

Editorial

O programa Se Liga na Rede, uma força-tarefa que vem sendo realizada em conjunto pela Prefeitura de Florianópolis […]

Editorial

O ano legislativo em Brasília, que começará em fevereiro, será movimentado pela agenda de reformas em debate no […]

Editorial

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) decidiu tirar férias em Laguna, por 14 dias, provocando nova polêmica […]

Editorial

Uma das soluções encontradas pelo governo do Estado para a saúde, que tem déficit de cerca de R$ […]