Pequenas conquistas

O Brasil foi confirmado no fim de semana na 3ª posição entre os países que mais vacinaram contra a Covid-19 no mundo, em números absolutos. Em números proporcionais, ou seja, na relação por 100 habitantes, está em 86º lugar.

No começo do mês, o país aparecia em 4º e 66º no ranking global, respectivamente, nesses critérios de análise. Os dados foram reunidos na sexta-feira (25) pelo R7, com base na Our World in Data, plataforma alimentada por pesquisadores da Universidade de Oxford, do Reino Unido.

Os Estados Unidos seguem na liderança dos números absolutos, com mais de 320 milhões de doses aplicadas. Na sequência vem a Índia, com pouco mais de 300 milhões.

Apesar da estatística em termos de números absoluto ter subido um ponto, a semana passada teve vários percalços no processo de vacinação, quando algumas capitais e grandes cidades do país, incluindo Florianópolis, acenderam sinal de alerta e tiveram que por alguns dias suspender a abertura de novos grupos por causa da incerteza em relação à chegada de novas doses.

Este cenário de incertezas teve uma reviravolta positiva no fim de semana, quando mais lotes de vacinas foram distribuídos no Estado e um grande reforço chegou com as doses únicas da Pfizer. Ainda no sábado, servidores da Prefeitura de Florianópolis comemoraram com uma merecida dança de quadrilha o encerramento da campanha de vacinação no drive-thru do antigo aeroporto.

A equipe técnica dançou em comemoração ao dia bem-sucedido de trabalho na nobre missão de salvar vidas. Na Capital, o número de doses aplicadas no sábado bateu seus próprios recordes, demonstrando a alta capacidade de aplicação de doses pelo SUS municipal. Também em São José, as equipes comemoraram no sábado um dia de sucesso com a aplicação de todas as doses da Pfizer recebidas.

O balanço do fim de semana é um alento diante de outro número significativo, de que o Brasil superou, no sábado, a marca de 70 milhões de pessoas imunizadas com a primeira dose das vacinas contra a Covid-19, segundo o Ministério da Saúde.

São 71,152 milhões de brasileiros, o equivalente a 45% das 158,095 milhões de pessoas com mais de 18 anos no país, que estão parcialmente imunizadas com a primeira dose. Imunizados, com as duas doses ou agora com a dose única, são quase 12% dos brasileiros.

Para que a campanha possa fluir, que seus prazos e objetivos sejam alcançados e novos grupos sejam chamados é importante que as pessoas que pertencem aos grupos prioritários já contemplados e que por algum motivo ainda estejam resistindo em se vacinar, ou a tomar a segunda dose, que o façam o mais rápido possível. Lembre-se que a vacina é a única esperança para a retomada segura que todos aspiram.

+

Editoriais

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...