Por um trânsito mais humano

Conforme levantamento feito por uma empresa de aplicativo de trânsito, Florianópolis tem as piores condições para se dirigir entre as cidades brasileiras. Entre outros fatores, o estudo avaliou frequência de congestionamentos, infraestrutura e segurança das vias. O poder público vem trabalhando para reverter esse quadro e melhorar a mobilidade na Capital. Obras como o elevado do Rio Tavares, construção de ciclovias e pavimentação de ruas, e avanços tecnológicos no sistema de semáforos e controle de tráfego na entrada e saída da Ilha contribuem para a fluidez do trânsito mas, por outro lado, o crescente número de carros e motos, a geografia da cidade, a falta de experiência, atenção ou paciência dos motoristas e situações cotidianas são fatores que provocam filas quilométricas.

Para um trânsito melhor e mais seguro, é necessário que cada parte envolvida – poder público, motorista e motociclista – contribua da melhor maneira possível. Após uma série de estudos, a Prefeitura da Capital prepara o lançamento para os próximos dias do novo Plano de Mobilidade. Problemas foram identificados e soluções serão colocadas em prática.

Motoristas e motociclistas precisam entender que o trânsito não é um campo de batalha, uma disputa para ver quem se dá melhor ou consegue chegar mais rápido ao seu destino. É preciso respeito e educação. É fundamental cumprir as regras, como limites de velocidade, não utilizar o telefone celular enquanto dirige (a utilização do aparelho é prática cada vez mais comum no trânsito de Florianópolis, infelizmente) e sinalizar todas as manobras. Só assim, com esforço e boa vontade de todos, teremos um trânsito mais humano.

+

Editoriais

Editorial

O Grupo ND e a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) deram a largada na sexta-feira (23 ...

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...