Prioridade inadiável

Empresários, representantes de entidades do setor de comunicação e comunidade discutem nesta segunda-feira (10) a reforma da Previdência e a retomada do crescimento econômico, em seminário que será realizado na Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Os dois assuntos caminham juntos, um complementa o outro. O Brasil está estagnado à espera da reforma previdenciária. A economia não consegue girar.

Santa Catarina, que é um oásis econômico dentro do Brasil, se mobiliza para dar sustentação ao governo federal na aprovação da reforma. Há um consenso em diversos setores que a Nova Previdência vai religar a chave da economia brasileira. Para o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, a reforma é essencial para restabelecer o equilíbrio fiscal, atrair investimentos e manter a roda da economia girando. “O sistema atual é insustentável e injusto”, diz Aguiar.

Pesquisa recente da CNI (Confederação Nacional da Indústria) aponta que seis em cada dez brasileiros dizem que a reforma é necessária. A sociedade acordou para o problema, alertada para a possibilidade de faltar dinheiro para educação, saúde e infraestrutura se o déficit da Previdência não for reduzido nos próximos anos.

Depois do encontro de ontem com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, afirmou que o governo trabalha com a expectativa de aprovar a reforma na Câmara dos Deputados ainda em junho. Isso é um bom sinal, mostra que governo e Congresso caminham de mãos dadas. Agora não tem mais volta. Depois de 25 anos de espera, a reforma da Previdência é uma prioridade inadiável.

Mais Opiniões Editoriais

Editorial

Continua o impasse com a ocupação da reitoria da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), no centro de […]

Editorial

Reconhecido frequentemente em diversos prêmios ligados ao turismo, o Estado de Santa Catarina colhe os frutos de ser […]

Editorial

O incêndio no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, controlado pelos bombeiros depois de quase dois dias de […]

Editorial

O primeiro passo para a balneabilidade da baía Norte, no trecho de 3,5 quilômetros de extensão da avenida […]