Responsabilidade durante o verão

A alta temporada de verão começou. E com ela vem a preocupação com os riscos de afogamentos. Conforme os dados do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, entre 12 de dezembro de 2019 a 1º de março de 2020, 46 pessoas morreram afogadas rios, lagos, represas e praias.

Trinta pessoas perderam a vida em água doce e 16 em praias – apenas dois afogamentos ocorreram em áreas cobertas por guarda-vidas. Os bombeiros atenderam 2.774 salvamentos e resgates durante o período.

Os números revelam que é preciso manter e reforçar a prevenção. Na maioria dos casos, os banhistas se arriscam em áreas perigosas e longe dos olhos dos guarda-vidas. Ou seja, para quem acha que entrar na água sem precaução é brincadeira, é preciso modificar o pensamento. A responsabilidade do banhista e a cobertura dos postos de guarda-vidas são fundamentais para evitar tragédias no verão.

Desde sexta-feira (18), todos os postos de guarda-vidas em Santa Catarina estão ativados. Este ano, o Corpo de Bombeiros conta com 1.500 guarda-vidas civis, além do reforço de militares deslocados de outras cidades, todos envolvidos na Operação Veraneio. O foco é a prevenção e a garantia de segurança aos banhistas.

Procurar locais com presença de guarda-vidas é o mínimo que se deve fazer para que a temporada de diversão não termine mais cedo para as vítimas e seus familiares.

Todo cuidado é pouco durante os banhos de mar, rio ou represa. Para que se tenha um momento de lazer com diversão, é importante lembrar que é preciso ter, em primeiro lugar, responsabilidade.

+

Editoriais