Rodovias em SC: muitos problemas e poucas soluções

Insegurança, buracos, acidentes, fluxo intenso de veículos e atrasos em obras. Essa preocupante realidade das rodovias estaduais e federais que cortam Santa Catarina resultou na série “Raio-X das Rodovias”, produzida pela NDTV e reproduzida nas páginas do jornal ND.

As equipes de Florianópolis, Joinville, Chapecó, Blumenau e Itajaí da NDTV percorreram o Estado para mostrar a situação das mais importantes estradas e quais os problemas e as possíveis soluções para melhorar o trânsito e dar mais segurança aos motoristas e pedestres.

Também questionamos e apontamos a responsabilidade do poder público e da Arteris Litoral Sul, responsáveis diretos pela conservação das rodovias. Quando há descaso, há falta de manutenção. Isso contribui diretamente para a perda de milhares de vidas nas estradas.

Encerrada, a série teve como principal objetivo expor os problemas e apresentar à sociedade as respostas das autoridades e da concessionária, e as iniciativas para que o Estado continue em crescimento. Esse é o papel do Grupo ND, informar prestando serviço ao cidadão.

Um dos pontos cruciais desse tema é a decisão do governo do Estado em aplicar recursos estaduais em estradas de competência federal. Com anuência dos deputados estaduais, o governo de Santa Catarina vai investir R$ 350 milhões em três estradas federais – BRs 470, 163 e 280. Qual será a contrapartida do governo federal? Se é que haverá uma contrapartida.

Enquanto o dinheiro do Estado vai para Brasília, as rodovias estaduais estão abandonadas, principalmente as do Oeste. Essa região que tanto produz para Santa Catarina e Brasil não tem o mínimo de investimento em infraestrutura para o escoamento dessa produção.

O Estado de Santa Catarina, sexta maior economia do país, que ocupa também a sexta posição no ranking nacional de arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), historicamente não é reconhecido pelo governo federal.

É quase uma via de mão única. Em 2020, o valor bruto de ICMS ultrapassou R$ 40 bilhões. Apenas por isso, os catarinenses merecem trafegar por rodovias seguras.

+

Editoriais