Saldo positivo de empregos

O fantasma do desemprego ainda ronda mais de 14 milhões de brasileiros, mas as Estatísticas Mensais do Emprego Formal, o Novo Caged, divulgadas ontem pelo Ministério da Economia, são de esperança para dias melhores para quem busca uma vaga no mercado formal. No primeiro semestre de 2021, o Brasil criou 1.536.717 vagas de trabalho.

Foram 9.588.085 contratações e 8.051.368 demissões. Somente em junho, o país gerou 309.114 postos, resultado de 1.601.001 admissões e de 1.291.887 desligamentos de empregos com carteira assinada. Se os números não podem ser considerados espetaculares, ao menos nos dão uma perspectiva de um cenário mais positivo para um futuro breve.

Ainda estamos na pandemia, que provocou rombos profundos na economia, e muitos setores patinam na tentativa de sair do atoleiro. Outros já conseguiram voltar aos níveis pré-pandemia ou estão muito próximos de sair da crise. Todos sabem que o emprego é um dos primeiros quesitos a ser atingido quando há uma crise e o último a se recuperar quando o país consegue deixar a recessão para trás.

Com os novos dados do Ministério da Economia, o estoque de empregos formais no país, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, chegou a 40.899.685, em junho. É a primeira vez, desde a crise de 2015, que o Brasil ultrapassa o patamar de mais de 40 milhões de postos formais de trabalho.

Para o ministro da Economia, Paulo Guedes, a retomada da economia e o retorno seguro ao trabalho continuarão em ritmo acelerado com o avanço da vacinação contra a Covid-19.

Dentro desse cenário, mais uma vez Santa Catarina foi um dos destaques positivos do Novo Caged. O Estado gerou 126.111 vagas formais no primeiro semestre. Este é o terceiro melhor resultado do país, ficando atrás apenas de São Paulo (saldo de 491 mil) e Minas Gerais (334 mil).

Em junho, o saldo positivo em Santa Catarina fechou em quase 15 mil vagas. Mais uma vez esses números reforçam a robustez da economia catarinense. O caminho está bem solidificado e logo Santa Catarina pode figurar na segunda posição entre os Estados que mais geram empregos no país.

+

Editoriais

Editorial

Dois acidentes com mortes num intervalo de apenas cinco horas, entre a noite de domingo e a madrugad ...