Segurança para pedestres

O estudo, chamado Campanha Calçadas do Brasil 2019, divulgado no fim de semana, traz à tona um problema cada vez mais presente na vida das pessoas: as condições inadequadas dos passeios públicos. Nenhuma das 27 capitais brasileiras oferece condições ideais à circulação de pedestres e cadeirantes em calçadas, ruas e faixas de travessia. Florianópolis é mencionada como a terceira melhor posicionada no ranking nacional. Na capital catarinense, o projeto “Calçada Certa” estabelece um modelo universal para os passeios na cidade, com diretrizes da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). O objetivo desse projeto é garantir que as diretrizes legais para o desenho sejam seguidas e orientar os cidadãos no projeto e execução. Florianópolis avançou bastante nos últimos anos, mas é preciso fazer mais. Nos bairros, principalmente, não há padrão. Em boas condições de uso, sem buracos e desníveis que costumam virar armadilhas para quem as utiliza, as calçadas facilitam o trânsito de pedestres e melhoram a paisagem urbana. Trata-se de um esforço que tem como principal objetivo aumentar a qualidade de vida da população. Calçadas adequadas, que permitam ao pedestre se deslocar em segurança e com agilidade, devem ser contempladas em qualquer projeto que pense, ou repense, a estrutura urbana das cidades. Mas não adianta só ter uma calçada em boas condições se não há educação de motoristas que insistem em estacionar no espaço dos pedestres. Essa infração está virando uma atitude “normal” em Florianópolis, infelizmente. Em frente a creches, comércios e até residências é comum ver veículos em cima de calçadas. Se falta fiscalização, que exista consciência desses motoristas.

+

Editoriais