Superação dos catarinenses

Mais uma vez, os catarinenses estão enfrentando um momento de reconstrução. A passagem do ciclone extratropical, na terça-feira (30) deixou um rastro de destruição no Estado. Com a força do vento, imóveis ficaram destelhados, árvores caíram, barcos afundaram, carros foram atingidos e o fornecimento de energia elétrica foi interrompido.

Milhões de pessoas foram afetadas de alguma maneira pelos temporais. Infelizmente, as tragédias climáticas fazem parte da vida da população de Santa Catarina. Ciclones, tornados, furacão, enchentes, secas, deslizamentos, ressacas… A destruição é recorrente. Mas a solidariedade e a superação dos catarinenses sempre recolocam o Estado no caminho do crescimento. Somos especialistas nisso.

E neste momento de pandemia, com milhares de pessoas abaladas pelo coronavírus, pelo desemprego e pela crise, não é diferente. Ontem, logo cedo, com sol, o Estado amanheceu tomado por uma esperança e força de vontade para reconstruir tudo. Moradores, com auxílio de vizinhos, consertavam as casas destruídas pelos fortes ventos.

Equipes das prefeituras recolhiam entulhos das vias públicas. Bombeiros e Defesa Civil retiravam árvores e postes. O que destoou dessa mobilização estadual foi a demora excessiva da Celesc para restabelecer a energia elétrica na maioria das cidades atingidas pelo ciclone.

É compreensível que os vendavais provocaram grandes danos nas redes de distribuição, mas faltou à companhia uma comunicação direta com a população, por meio da imprensa.

Esse tipo de ação da Celesc sempre ocorreu nas tragédias e sempre deu resultado. Informação sempre foi e continuará sendo de fundamental importância na vida dos cidadãos, mesmo que alguns governantes pensem diferente. Informação é um elemento fundamental no processo da comunicação.

+

Editoriais

Editorial

Após 14 anos da criação da Lei Maria da Penha, criada para prevenir e punir atos de violência contra ...