Um cenário mais otimista

Uma boa notícia que veio em uma boa hora. Foi assim que o presidente Jair Bolsonaro comemorou o anúncio do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país) no terceiro trimestre. Em comparação com o trimestre anterior, houve aumento de 0,6%. O clima de otimismo que toma conta do país não é à toa. A previsão para o próximo trimestre é de mais crescimento.

O PIB pesa obrigatoriamente na elaboração de projetos e planos, assim como é essencial para a definição de cenários e estratégias nos setores público e privado. É legítimo afirmar, então, que é a essência das decisões. Diante das expectativas minguadas da economia nacional que vinham sendo divulgadas em levantamentos frequentes, o índice 0,6%, que na comparação com o terceiro trimestre de 2018 teve crescimento de 1,2%, não é nada modesto.

O avanço do PIB é importante num cenário em que o governo, mesmo com poucos recursos, está focado em investir para fazer o país voltar a crescer. Esse impulso vem do consumo das famílias e dos investimentos das empresas, que observam atentamente o movimento político e econômico do Brasil e voltaram a consumir e a investir. A melhora já se faz sentir no desempenho do comércio e dos serviços.

Como disse Bolsonaro, o crescimento do PIB é algo inesperado para os analistas econômicos. Eles costumam, muitas vezes, ver o lado negativo da atuação do governo e da previsão econômica. Mensagem negativa gera atitudes negativas. Por isso, não acredite nas previsões alarmistas dos economistas. Já as previsões positivas geram atitudes positivas e até superam tais previsões. O crescimento do PIB é um exemplo.

+

Editoriais