Um reforço muito bem-vindo

A morte de três crianças com menos de dois anos e de duas auxiliares que trabalhavam na creche infantil Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste catarinense, na terça-feira passada, deixou muitas pessoas preocupadas com a segurança nas unidades escolares de Santa Catarina.

Nas redes sociais, os questionamentos continuaram se multiplicando a ponto de, ao que tudo indica, terem sensibilizado rapidamente as autoridades.

Ontem, o governo do Estado deu uma resposta à inquietação de pais e responsáveis e anunciou que decidiu refazer uma licitação para garantir que todas as 1.064 escolas da rede estadual de ensino passem a contar com vigilância humana diariamente. A princípio, o governo do Estado tinha a intenção de contratar vigilantes para apenas 566 escolas de Santa Catarina.

Atualmente, a rede estadual conta com apenas 234 postos de vigilância humana e todos eles estão localizados em áreas de maior vulnerabilidade social. Vale lembrar que, infelizmente, outros atos de violência, como agressões a professores e saques em escolas, são registrados de tempos em tempos.

Mas para evitar estas ocorrências, todas as unidades têm também videomonitoramento, sistema de alarme e sensores de presença em ambientes onde estão guardados objetos de valor.

O governador Carlos Moisés, no anúncio da medida, considerou fundamental dotar todas as escolas catarinenses da presença física de vigilantes, para evitar a repetição dos tristes acontecimentos como o da semana passada no Oeste. E afirmou que o investimento vai ajudar também a colocar o ensino num patamar mais elevado.

“Buscamos uma educação de qualidade, aliado a isso, é necessário que as unidades sejam ainda mais seguras e acolhedoras para todos. Isso é o que faremos”, reforçou.

O que se espera, agora, é que o processo de licitação, dentro do que determinam as normas, seja o mais célere possível, para que, em breve, todas as escolas se tornem um ambiente seguro, onde alunos e professores e funcionários possam seguir no caminho da evolução, sem novos traumas.

+

Editoriais

Editorial

O Grupo ND e a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) deram a largada na sexta-feira (23 ...

Editorial

O Brasil está virando um país de golpistas e fraudadores. Durante a pandemia, o número de golpes e f ...