Vacina é prioridade

O Estado de Santa Catarina recebe hoje mais uma remessa da vacina Coronavac. De acordo com confirmação feita pelo Ministério da Saúde, serão 144,7 mil doses, o maior lote recebido desde 18 de janeiro, quando foi deflagrada a campanha nacional de imunização contra a Covid-19.

Segundo o governo, a distribuição das vacinas para as 17 unidades descentralizadas das regionais de saúde começa ainda nesta quarta-feira, com prioridade para aplicação em profissionais de saúde e idosos entre 75 e 79 anos.

Durante audiência na semana passada, em Brasília, o governador Carlos Moisés recebeu a sinalização de que as remessas vão passar a ter frequência semanal e com maior número de doses. É imprescindível que esse compromisso das autoridades sanitárias federais seja absolutamente respeitado para que o plano de imunização – estratégia importante para minimizar o impacto da pandemia – tenha mais velocidade em Santa Catarina.

A transição no ministério, com a posse nos próximos dias do médico Marcelo Queiroga, não pode significar interrupção nessas políticas públicas.

Ao contrário: a mudança deve se traduzir em reforço das medidas de combate à Covid-19, com prioridade total para a imunização em massa, além de orientação sobre tratamento precoce para aqueles que assim o desejarem e conscientização sobre a necessidade de manutenção dos cuidados preventivos, como uso de máscara, distanciamento social e higiene das mãos.

O país está no pior momento da pandemia, com recordes diários de mortes, que também se refletem em Santa Catarina, situação que exige ação oficial vigorosa no sentido de reversão do cenário dramático.

Além de reforço na estrutura das unidades hospitalares, que estão no limite do atendimento, é primordial que Estados e municípios consigam quebrar o ciclo de transmissão do vírus. E a vacinação é uma das armas.

+

Editoriais