Vida longa ao ND!

Num mundo cada vez mais conectado e virtual, com o surgimento de novas mídias e novos hábitos de consumo de informação, temos bons motivos para comemorar os 14 anos de circulação diária do Notícias do Dia. Esta superedição reforça a nossa crença na importância e relevância do jornal impresso como fonte de informação essencial à sociedade.

Vivemos em plena era digital, onde o consumo de notícias é cada vez maior, onde a informação é fundamental para entender a realidade que nos cerca. Neste cenário, o ND evolui e se moderniza oferecendo ao leitor um novo projeto gráfico, uma nova identidade visual, com mais cores e vibração, conectado com as tendências mais arrojadas do jornalismo impresso.

As mídias tradicionais enfrentam grandes desafios na atualidade. A informação hoje trafega pelas infovias em tempo real. As notícias chegam a qualquer canto do planeta em apenas um clique. A revolução provocada pela internet não foi a responsável pelo fim dos impressos como propagaram os futurólogos de plantão. Jornais desapareceram por falhas de gestão ou porque não conseguiram evoluir perdendo a sintonia com seus leitores.

Esta nova realidade midiática não representou uma ameaça, mas uma oportunidade para o ND encontrar o seu espaço editorial. Ao longo de sua existência procurou sempre inovar, se adaptar à realidade do mercado, mantendo seu foco no jornalismo local e regional, fiel ao seu propósito de prestar serviço, informar, noticiar e formar opinião. Acreditamos na força transformadora da mídia para a sociedade, na importância do jornal impresso como veículo de comunicação social.

E no hábito de muitos leitores de receber em casa seu exemplar, companheiro fiel das primeiras horas do dia. Acreditamos que ainda há espaço em nossa região para um jornal que seja aliado do cidadão, porta-voz dos cidadãos e que esteja disposto a fazer um jornalismo sério e responsável. O jornal tem o poder de influenciar e motivar a
sociedade. Tem a missão de ajudar o leitor a entender e refletir sobre o cotidiano.

A abordagem de assuntos, muitas vezes polêmicos, com posicionamentos corajosos, ajudaram o ND a construir a sua imagem de credibilidade. Dezenas de editoriais já publicados mostram este posicionamento.O ND tem sido protagonista, relevante e essencial, um defensor das boas causas. Graças à sua linha editorial construtiva, tem ajudado a sociedade a mudar a realidade.

De forma propositiva, contribui para a solução de problemas que afetam o cotidiano das comunidades. Temos muito orgulho dos prêmios de jornalismo conquistados e do reconhecimento dos nossos leitores. Crescer e ampliar a sua presença no cenário catarinense não é uma conquista apenas do ND, mas de toda a sociedade que tem um jornal como parceiro estratégico.

Um veículo com a disposição de ser interlocutor das demandas econômicas e sociais da região onde atua. Um jornal que serve para servir. Sem jornal, a sociedade fica sem defesa porque a verdade não aparece. Sem jornal não há memória, porque o papel é o documento e se perpetua no tempo. Sem jornal a democracia fica ameaçada.

Mas um jornal só sobrevive enquanto tiver razão de existir, tendo propósito, sendo relevante. Não é por acaso que os impressos estão entre
os campeões de credibilidade, ao lado do rádio e da televisão. Os brasileiros confiam no noticiário dos jornais porque nem tudo o que está nas redes sociais é verdade. As redes sociais, infelizmente, são uma fonte permanente de notícias falsas. Há quatro séculos os jornais se dedicam a levar informação confiável aos seus leitores.

Por isso são os principais fornecedores de conteúdo de qualidade. Nas redações, jornalistas trabalham para apurar e checar informações. São profissionais treinados no ofício do jornalismo, cujo valor maior é a credibilidade. Este é o valor intangível é que diferencia os impressos das redes sociais onde as informações são divulgadas sem compromisso com a verdade.

Os veículos tradicionais são referenciais, são eles que pautam as redes sociais, as emissoras de rádio e televisão. Os jornais são mais que transmissores de notícia, são certificadores da realidade. São construtores da história, registrada diariamente em suas páginas.

Ao longo do tempo os impressos tem sido um valioso repositório para pesquisar o passado, entender o presente e imaginar o futuro. Pesquisados e estudiosos recorrem aos jornais para reescrever a memória
dos povos e das civilizações. Os jornais documentam em papel, para a posteridade, a trajetória da sociedade. Jornais são documentos vivos do seu tempo.

Esta superedição de aniversário tem um significado especial para o Grupo ND. Nas 120 páginas relatamos um pouco da nossa história e do avanço jornal nestes 14 anos, as bandeiras e conquistas editoriais, a evolução do seu design, o seu time de colunistas de relevância nacional e os novos conteúdos.

No papel ou no digital, mostramos que o ND se transformou em uma plataforma multimídia com a distribuição de informação por meio do portal ND+ e das redes sociais, amplificando a sua presença em todas as mídias. Somos gratos pelo reconhecimento diário do nosso público, que enxerga a importância de um veículo impresso para a nossa região.

A existência do ND não seria possível sem a participação dos parceiros comerciais que marcam presença nesta edição comemorativa. São empresas e empresários que agregam a sua marca ao ND porque acreditam na mídia impressa. Porque confiam no jornal como fonte de informação confiável e para obterem bons resultados para seus negócios. Reconhecemos e agrademos estes parceiros comerciais.

Estas empresas, muitas delas consagradas pela tradição e qualidade de seus produtos, também fazem parte da história de Santa Catarina. Os catarinenses precisam conhecer e valorizar estes empreendedores reconhecidos pela competência e visão de negócio. Construíram marcas
que se destacam no cenário empresarial.

É preciso fazer justiça aos homens que, graças ao trabalho e esforço pessoal, ajudaram a transformar Santa Catarina num Estado de excelência. Queremos comemorar juntos com nossos leitores e assinantes os 14 anos do ND, aqueles que pagam pelo conteúdo, que recebem o exemplar em casa ou leem o ND pelas plataformas digitais.

Um jornal só existe em razão de seus leitores. Temos o privilégio de contar com assinantes desde a primeira edição que se mantém fieis ao jornal, motivo de orgulho para nós. É importante reconhecer os profissionais do jornalismo que transformaram o ND num veículo de
comunicação qualificado. São repórteres, editores, fotógrafos, diagramadores e colunistas que, ao longo de sua história, ajudaram o jornal a se transformar num veículo representativo na mídia impressa.

A todos, muito obrigado. Também somos gratos aos profissionais que fazem o exemplar chegar, todos os dias, sob sol ou chuva, na casa dos assinantes, bem como os proprietários de bancas de jornal e pontos
de venda onde o ND pode ser encontrado.

Por fim, é preciso reforçar nosso compromisso com a sociedade catarinense, principalmente com os moradores da Grande Florianópolis. Reafirmar nosso propósito de continuar ao lado dos leitores na defesa
da busca da verdade e na melhoria das condições sociais e econômica de nossas comunidades, interagindo com o poder público, com as classes produtora, entidades de classe e com a sociedade civil organizada. Sempre em defesa da liberdade de expressão, da cidadania, do estado de direito, dos valores familiares e da democracia. Vida longa ao ND!

+

Editoriais