Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Aulas online: 18 universidades federais optam pelo sistema remoto

UFRJ decidiu retomada das aulas presenciais só em 2021

A reitoria e o corpo docente da Universidade Federal do Rio de Janeiro bateram pé para retomada das aulas só em 2021, com segurança e vacina (que não há certeza de quando chegará). Seu conselho demorou a decidir sobre ferramentas para aulas online, conforme publicamos.

Enquanto isso, outras 17 universidades federais – lista do próprio Ministério da Educação enviada à Coluna – já ministram aulas virtuais. Entre elas, Campo Grande, Viçosa, Porto Alegre, São Luís, Curitiba, ABC Paulista.

A turma do ‘Fundão’, como é conhecida a tradicional instituição carioca, correu para não passar vergonha. Entrou na lista do MEC para aulas virtuais de algumas faculdades, mas deu opção de a garotada trancar a matrícula e voltar às aulas presenciais só ano que vem.

A UFRJ vai ministrar aulas pelas plataformas AVA@UFRJ e Google ClassRoom do Pacote G-Suite; e distribuirá 12 mil chips para sinal de internet a estudantes carentes.

Outro desafio da UFRJ é saber de onde os professores vão ministrar aulas. Em nota à reportagem, informou que “Não há definição específica sobre locação das aulas, apenas de que elas ocorrerão”.

Há as que retomaram aulas presenciais de algumas faculdades. São elas: UFF (Niterói), UFOP (Ouro Preto), UFFS (Chapecó), UFS (Aracaju), UFAC (Rio Branco), UFT (Palmas) e UFSCar (São Carlos), conforme informado pelo MEC.

As universidades que já ministram aulas online são: Universidade Federal do Cariri (UFCA), no Ceará, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Minas Gerais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), no Mato Grosso, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Universidade Federal de Grande Dourados (UFGD), no Mato Grosso do Sul, Universidade Federal de Lavras (UFLA), em Minas, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), no Rio Grande do Sul, Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), em Minas, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Rio Grande do Sul, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL), em Minas, Universidade Federal do ABC (UFABC), em São Paulo e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Gás no debate

Há resistências de alguns partidos ao relatório apresentado pelo deputado Laércio Oliveira (Progressistas-SE) para o PL 6407/13, o da Nova Lei do Gás. O atual texto, dizem opositores, não será capaz de gerar atratividade para a exploração das reservas de gás do Pré-Sal, o que irá subtrair receitas potenciais dos Estados.

Em 2019, a reinjeção do gás no solo custou a Estados como Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo arrecadação em torno de R$ 2 bilhões em royalties. Cidades como Brasília, Goiânia, Cuiabá e Uberlândia não têm infraestrutura de gás canalizado.

A crítica é que o projeto não fomenta a ampliação de infraestrutura (dutos de escoamento, unidades de tratamento e gasodutos de transporte) que tire esse gás do mar para o continente. Conforme registramos, hoje, 40% do gás extraído é reinjetado no solo porque o Brasil não tem dutos para refinarias.

Jeff, el ‘pistoleiro’

Roberto Jefferson, que anda brabo com inquérito do STF, é exímio atirador esportivo. Tem treinado diariamente num clube de Brasília. O porte lhe foi tirado na operação de busca e apreensão da PF. Mas tem andado com facas, dizem deputados amigos.

Lobby é lobby

A Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais, que atua pela regulamentação do lobby no País, terá no comando a advogada Carolina Venuto, de 34 anos. Ela levanta a bandeira do diálogo, ética e transparência. E garante: “quem pratica corrupção não atua como lobista, e sim, como bandido”.

Terra sem lei?

Em Brasília, motorista bêbado atropela, mata, e é liberado por um juiz sem pagar fiança na audiência de custódia, porque tem bons antecedentes. Há três dias, outro bêbado atropelou e matou motorista que trocava pneu no acostamento. A Lei Seca não vingou.

Idealizador da Lei Seca, o deputado federal Hugo Leal (RJ) ficou revoltado com os casos recentes da capital: “É impressionante, parece que as pessoas desaprenderam com a pandemia; nesse desespero de sair de casa, perderam a noção. As operações da Lei Seca têm que ser mais intensificadas”.

E o mais importante, completa o parlamentar: “Tem que parar com essa história de passar mão na cabeça de assassino no trânsito. Tem que ser tratado como homicídio”.

Ponto Final

O dossiê sobre antifascistas no serviço público federal, revelado por Rubens Valente, do UOL, é a denúncia mais séria nesta gestão. Se o ministro da Justiça, André Mendonça sabia, incorre em crime de prevaricação. Se não sabia, não tem controle algum sobre subordinados próximos. Nos dois casos, é grave.

+

Esplanada