Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


Bolsonaro é líder disparado no Telegram, que pode ser proibido nas eleições de 2022

Entre os principais pré-candidatos à Presidência da República, Bolsonaro tem incentivado seus apoiadores a migrar para o Telegram, onde tem mais de 1 milhão de seguidores

Responsável pelas eleições no Brasil, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é pressionado a adotar estratégias que façam as disputas transcorrerem de forma justa, e que a internet não seja usada para corroer a credibilidade do processo.

Entre os principais pré-candidatos à Presidência da República, Jair Bolsonaro, que concorrerá à reeleição, tem incentivado seus apoiadores a migrar para o Telegram, onde conta com mais de um milhão de seguidores.

O presidente da República, Jair Bolsonaro conversa por telefone – Foto: Isac Nóbrega/Divulgação/NDO presidente da República, Jair Bolsonaro conversa por telefone – Foto: Isac Nóbrega/Divulgação/ND

Apesar da chegada e crescimento de outros pré-candidatos no aplicativo, Bolsonaro é líder disparado em número de seguidores conectados.

Plataformas como Facebook e Twitter vêm intensificando ações para conter notícias falsas e discurso de ódio, sobretudo em meio à pandemia de covid-19 e elaborando regras próprias para o período eleitoral, mas não há notícia de qualquer mudança por parte do Telegram.

Loading...