Bolsonaro vai empossar novos ministros em evento fechado

Cerimônia ocorre, nesta terça (6), na Sala de Audiência do Palácio do Planalto e terá transmissão ao vivo pelos canais oficiais do governo federal

O presidente Jair Bolsonaro vai empossar, nesta terça-feira (6), em evento reservado, os novos ministros do governo escolhidos após as mudanças realizadas no comando dos ministérios na semana passada.

Segundo a Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal a cerimônia será na Sala de Audiência do Palácio do Planalto sem a presença da imprensa, mas terá transmissão ao vivo pelos canais oficiais do governo federal.

Bolsonaro empossa nesta terça (6) novos ministros de seu governo – Foto: Isac Nobrega/NDBolsonaro empossa nesta terça (6) novos ministros de seu governo – Foto: Isac Nobrega/ND

A Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal distribuiu um terceiro aviso sobre a posse de sete ministros do governo de Jair Bolsonaro, para informar que o evento será reservado, mas terá transmissão ao vivo pelos canais oficiais do governo federal. A informação anterior não previa transmissão simultânea do evento.

O formato inicialmente planejado previa um evento amplo no Salão Nobre do Palácio do Planalto, o que poderia reunir grande número de autoridades do governo, parlamentares e outros convidados.

Se fosse mantida a cerimônia aberta, ela se somaria a outras aglomerações promovidas na sede do governo federal em plena pandemia de Covid-19. Conforme o Estadão mostrou, desde o início da pandemia, Bolsonaro realizou pelo menos 41 cerimônias com aglomeração no Palácio do Planalto.

Na ocasião, Bolsonaro vai oficializar as seis trocas ocorridas na equipe ministerial na semana passada. Além disso, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também deve ser oficializado simbolicamente, já que assinou seu termo de posse de forma reservada no dia 23 de março. O evento também será simbólico para outros dois ministros já empossados na semana passada em ato reservado no gabinete do presidente. São eles: André Mendonça, da Advocacia-Geral da União (AGU), e Anderson Torres, da Justiça e Segurança Pública.

Na cerimônia serão empossados os ministros militares que mudaram de pastas após o presidente Jair Bolsonaro demitir Fernando Azevedo e Silva, do Ministério da Defesa. A pasta agora é comandada pelo general Walter Braga Netto, que para isso deixou a chefia da Casa Civil. Em seu lugar, assumiu Luiz Eduardo Ramos, até então responsável pela Secretaria de Governo (Segov).

A articulação com o Parlamento irá agora para as mãos da deputada Flávia Arruda (PL-DF), ministra nomeada chefe da Segov e mais uma representante do bloco Centrão dentro do governo. A deputada e Carlos França, que substituirá Ernesto Araújo no Ministério das Relações Exteriores, completam o grupo de novos ministros que serão empossados nesta terça.

+

Política Brasileira