Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Centrão plebeu dá recado a Bolsonaro

Deputados indicam que Palácio deve atender demanda da base, não só dos líderes

A derrota do presidente Jair Bolsonaro na votação da proposta do voto impresso foi pior do que o Governo esperava. Deputados de partido da base ajudaram a enterrar o projeto da federal bolsonarista Bia Kicis.

Entre os partidos, o Progressistas, do chefe da Casa Civil Ciro Nogueira, e o PTB, de Roberto Jefferson – para citar apenas dois exemplos. Dos 32 deputados do Progressistas, 10 se ausentaram, outros 10 votaram contra; e dos 10 do PTB, seis votaram a favor, dois foram contra e outros dois não apareceram em plenário.

Com a entrada ainda tímida dos partidos na administração federal, e promessas de benesses em análise às mesas, os palacianos entenderam o recado dos ‘plebeus’ do Centrão: o Governo está ajudando os chefões, não os operários do voto.

O PSC deu 100% dos votos. E, proporcionalmente, o NOVO se mostrou mais bolsonarista que o Progressistas: cinco dos oito deputados votaram a favor da PEC.

Margareth Coelho e Átila Lira, do Progressistas do Piauí, aliados próximos e conterrâneos do ministro Ciro, votaram contra a proposta do voto impresso.

Pelo constatado no resultado da votação, a oposição também não vibra. Descobriu que não tem votos suficientes para aprovar eventual impeachment de Bolsonaro.

Lá no ‘Ipiranga’

Farpas da briga entre o governador de Alagoas, Renan Filho, e 13 prefeitos (incluindo JHC, de Maceió) por um bolo de R$ 2 bilhões chegaram ao ministro da Economia. Paulo Guedes terá de responder a um requerimento do deputado federal Pedro Vilela (PSDB) que o questiona se o BNDES acompanha os resultados de leilão de saneamento que teve a empresa BRK Ambiental como vencedora.

O BNDES, subordinado a Paulo Guedes, foi responsável por preparar o modelo do leilão, que privilegiou o Governo e deixou as cidades sem os recursos da outorga pela exploração. Os prefeitos defendem que o serviço tem caráter municipal: o dinheiro deveria ser distribuído entre os municípios – e não cair no colo de Renan Filho.

Dória na pista

Reconquistando devagar o ninho tucano, com apoio de FHC, o governador João Dória Jr retomou a rota nacional como pré-candidato a presidente. Visita amanhã Curitiba, para reunião com prefeitos do partido. E será condecorado pelo alcaide Rafael Greca.

Batalha 2.0

Até ontem à noite, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), coletou 60 assinaturas para pedir abertura de uma CPI do TSE. Sim, a ofensiva agora é lupa no Tribunal e provocar o ministro Luís Barroso, presidente do órgão, após o desastre político da comissão da PEC do voto impresso na urna eletrônica.

É ouuuuuro!

O senador Jaques Wagner (PT-BA), ao saber que o deputado Aécio Neves (PSDB-MG) receberia o Embaixador da Argentina ontem, provocou: “Diz para o embaixador Daniel Scioli que a Bahia ganhou mais medalhas em Tóquio que a Argentina”.

Turismo de Negócios

Um dos principais entusiastas de eventos do Sergipe, ligado à Fecomércio local, o deputado Laércio Oliveira (PP-SE) aproveita a inauguração do novo centro de convenções de Aracaju e antecipa que o pós-pandemia será rentável para o Estado. “O turismo de negócio apresenta grande importância para crescimento da economia. O turista sempre volta e será multiplicador de opiniões positivas”.

Loading...