Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Com perfil técnico e Lava Jato no histórico, Moro bloqueia caminho político

Ex-ministro da Justiça pode disputar Senado pelo Paraná

O ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro não é candidato a nada, sabe quem o conhece de perto. É só especulação. O máximo que poderá surgir no cenário em 2022, se convencido, é disputar o Senado pelo Paraná. Está fora de questão ser candidato ao Palácio do Planalto. Não se descarta ser vice numa chapa presidencial.

Mas seu perfil afasta aliados da maioria dos partidos – enrolados na operação Lava Jato, que tocou muito bem vestido com a toga. No mais, por isso tudo, é o anti-candidato.

O que se fala na praça é que Moro, novo palestrante vip do mercado, não cobrará menos de R$ 200 mil para aparecer numa conferência – presencial ou online.

Hein?

O PRTB de Santarém (PA) pediu ao TSE imediata auditoria nos sistemas de votação e totalização de votos. Com comissão mista de especialistas do Tribunal e políticos.

Orbitando

A Deputada Estadual Tia Ju (Republicanos) foi sondada para assumir a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério da Cidadania. Ela é secretária de Assistência Social e Direitos Humanos do prefeito Crivella, no Rio

Ao povo.. 

Fazer negócio com o Governo no Brasil é uma maravilha. A concessionária Gemni (a empresa comprou o negócio da espanhola que vencera a licitação anos atrás) deixou todo o Amapá sem luz por 3 semanas, não conseguiu restabelecer, e foi salva pela equipe e equipamentos da estatal Eletronorte.

Mesmo assim a União vai manter o repasse direto de R$ 78 milhões mensais – que mantém há meses – para investimentos da empresa na distribuição de energia do Estado.

Davi & Maia

Continua a insistência, no tapetão judicial – um ministro do STF está simpático à ideia – de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre na tentativa de reeleição para as presidências da Câmara dos Deputados e Senado, respectivamente. A consulta paira nas mesas da Corte.

Articulando no Congresso, ACM, Sarney, Renan Calheiros tentaram, em vão, reeleição para comando do Senado. Maia e Alcolumbre, figuras forjadas nas canetas de Moreira Franco (Governo Temer) e Onyx Lorenzoni (Governo Bolsonaro) não caíram na real.

Reforço

Roberto Jefferson vai reforçando as fileiras com vistas a 2022. O advogado ‘terror do PT’, Paulo Fernando Mello, deixou o Patriota pelo PTB do Distrito Federal. E entrou direto para a Executiva Nacional.

Neoaliado

Depois de esconder do seu guia eleitoral as principais lideranças do PSB em Pernambuco – o governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Julio, da capital – o candidato João Campos pediu socorro ao senador Jarbas Vasconcelos (MDB), que atestou sua capacidade como deputado federal levando recursos para o Estado.

Desencontros

Enquanto prefeituras de cidades praianas do Estado querem a festa de Réveillon, mesmo com a pandemia do Covid-19 em alta, o governador Rui Costa, da Bahia, determinou a proibição das aglomerações na virada do ano. Alega a alta na ocupação de leitos.

Para um exemplo, em Salvador havia 692 leitos de UTIs e o número caiu para 372 leitos. Com a desativação de 320 leitos, fica evidente que haveria aumento do percentual de ocupação dos mesmos.

Por telefone

Levantamento da PhoneTrack, startup especializada em Inteligência Artificial aplicada à voz, mostra que as ligações telefônicas voltaram à rotina do consumidor, com o whatsapp na moda. Em 2016, 41% dos consumidores preferiam utilizar o telefone para entrar em contato com uma empresa. Em 2020, o número saltou para 60%.