CPI da Covid: reunião define prioridades nas apurações

Relator Renan Calheiros (MDB-AL) sugeriu ao presidente da Comissão, Omar Azis, 11 prioridades para guiar trabalhos do grupo de senadores

Instalada no Senado Federal, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19 faz a segunda reunião, nesta quinta-feira (29), a partir das 9h. Na pauta do encontro está a definição do plano de trabalho que a comissão seguirá daqui em diante.

O relator Renan Calheiros (MDB-AL) sugeriu 11 prioridades ao presidente da CPI, Omar Azis (PSD-AM), que poderiam guiar os trabalhos do grupo de 11 senadores.

Omar Azis e Renan Calheiros devem definir como serão as primeiras sessões da CPI da Covid – Foto: Marcelo Camargo / Agência BrasilOmar Azis e Renan Calheiros devem definir como serão as primeiras sessões da CPI da Covid – Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Renan quer que sejam pedidos inicialmente todos os documentos relacionados a aquisições de vacinas e insumos no país utilizados no combate à pandemia do novo coronavírus e o maior número possível de dados relacionados à regulamentação feita pelo Ministério da Saúde em relação a medidas como isolamento social, quarentena e proteção da coletividade”.

O relator pretende ainda aprovar a convocação dos três ex-ministros da Saúde do governo do presidente Jair Bolsonaro: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello,. E chamar o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga. Azis afirmou que o depoimento de Mandetta vai acontecer na próxima terça-feira (4).

O presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra Torres, também pode ter o depoimento marcado.

Sessões da CPI

As sessões da CPI ocorrerão sempre nas terças e quartas-feiras. Nesta semana, excepcionalmente, o presidente Omar Aziz preferiu dar mais um dia para que os parlamentares enviassem sugestões para o plano de trabalho da comissão.

Esses requerimentos, que puderam ser entregues até as 10h de quarta-feira (28), também devem ser avaliados hoje pelos integrantes do grupo.

Na terça-feira (27), Renan afirmou que a CPI vai investigar “se, por ação, omissão, desídia ou irresponsabilidade, alguém colaborou para que a matança [da pandemia de Covid-19] avançasse”.

“Vamos apurar, mas com critérios. Só valerão provas efetivas. Não vamos condenar por convicção ou fazer power points contra ninguém”, reforçou.

Também na terça, o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que a comissão pode solictar formalmente à Casa Civil o documento, cuja existência foi revelada pela imprensa no final de semana, em que são listadas 23 acusações que o governo deve sofrer no decorrer dos trabalhos.

“Foi uma contribuição importante do governo para ajudar nas investigações. Aponta alguns aspectos que estarão em nosso plano de trabalho, e a questão dos povos indígenas, que estava passando ao largo. O roteiro da Casa Civil é uma colaboração para as investigações, e talvez seja necessário e de bom tom solicitarmos oficialmente este roteiro”, disse Randolfe.

+

Política Brasileira