Deputado diz que uso de máscara pode ter agravado câncer de Bruno Covas

Deputado federal Giovani Cherini (PL-RS) afirmou que o uso da máscara impedia a "respiração" das células

O deputado federal Giovani Cherini (PL-RS) provocou polêmica nesta segunda-feira (17) ao afirmar, em sessão da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que o ex-prefeito de São Paulo, Bruno Covas, pode ter agravado o câncer por impedir a “respiração” das células com o uso de máscara.

Comentário do deputado criou polêmica durante a sessão – Foto: PABLO VALADARES/CÂMARA DOS DEPUTADOSComentário do deputado criou polêmica durante a sessão – Foto: PABLO VALADARES/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Covas morreu no domingo (16) após enfrentar desde, desde 2019, um câncer no sistema digestivo.

“Falaram tanto do nosso querido e saudoso Bruno Covas, fui colega dele na Câmara. A máscara que ele usou durante toda a campanha [eleitoral do ano passado] pode ter prejudicado o câncer que ele teve. Porque as células precisam de respiração. Isso é ciência! Respirar é ciência”, afirmou.

Cherini não apresentou qualquer prova da tese que levantou e que contraria as recomendações das autoridades sanitárias pelo mundo em relação ao uso de máscaras inclusive em locais públicos, dependendo da região, como forma de contenção da pandemia de Covid-19.

Ele abordou o tema após a presidente da CCJ, Bia Kicis (PSL-DF) afirmar que ficaria sem máscara enquanto estivesse conduzindo os trabalhos e que a colocaria quando fosse escutar os demais parlamentares.

Críticas ao uso da máscara

Cherini apontou que a máscara é usada de forma “doentia” e por “política”.

“Eu só gostaria de informar a todos os membros que falam tanto em ciência, ciência, ciência, que eu também defendo a ciência. Só que eu defendo que as pessoas respirem e nós vamos ter uma matança de gente por usar máscara em praça, praia, absurdo, dentro do carro sozinho. De tanta doença mental que as pessoas estão passando, de uma forma desinformada, doentia, politicamente. Porque eu aprendi uma coisa no mundo holístico que eu vivo: respirar é tudo na vida”, disse o deputado.

As manifestações foram criticadas por deputadas do PSOL, que apontaram crime contra a saúde pública ao contrariar recomendação sanitária. Sâmia Bomfim (PSOL-SP) classificou como grave a declaração de Cherini.

“Ele atribuiu a piora do estado da condição de saúde do prefeito Bruno Covas, que veio a falecer na manhã de ontem, que comoveu todo o país, ao uso de máscara, que é um uso correto”. Fernanda Melchiona (PSOL-RS) disse tratar-se de um crime contra a saúde pública e contra a memória de Bruno Covas.

A deputada Bia Kicis afirmou que se tratava de opinião do deputado Cherini e que não iria interferir, chamando a atenção para o fato de que o tema em pauta era a reforma administrativa enviada pelo Executivo.

+

Política Brasileira